Escola de Contas integra o Sistema de Ensino do AM e pode oferecer pós

Escola de Contas do TCE-Am
Escola de Contas do TCE-Am

Manaus – Depois de formar mais de 15 mil jurisdicionados e também servidores públicos, a Escola de Contas Públicas do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (ECP/ TCE-AM) agora integra o Sistema de Ensino do Estado do Amazonas e se soma às poucas escolas de governo no país aptas a oferecer cursos de pós-graduação, sem a celebração de convênios.

A inserção da ECP no sistema educacional aconteceu por meio do decreto nº 36.253, assinado pelo governador José Melo no último dia 18.

Segundo o coordenador-geral da ECP, conselheiro Érico Xavier Desterro e Silva, a partir de agora, com a integração ao sistema e a autorização do Conselho Estadual de Educação, a Escola de Contas passará a oferecer cursos de especialização em nível lato sensu aos jurisdicionados, aos servidores públicos e aos demais interessados.

“A Escola de Contas Públicas do Amazonas foi criada visando o desenvolvimento de estudos relacionados às técnicas de controle da Administração Pública, ao planejamento e execução de ações destinadas a capacitação e aperfeiçoamento dos servidores do Tribunal de Contas do Estado e o treinamento de gestores e técnicos pertencentes aos órgãos jurisdicionados e a sociedade civil.

Agora com a autorização do governador do Estado poderemos oferecer cursos em nível de pós-graduação nas áreas relacionadas às atividades do Tribunal de Contas do Estado”, disse o conselheiro Érico Desterro.

O diretor da ECP, Harleson Arueira, afirmou que agora a Escola não precisa mais fazer parcerias com outras instituições de ensino superior para a realização de cursos de especialização. “Pretendemos ainda este ano de 2015 oferecer dois cursos de especialização, em Controle Externo e Prestações de Contas e em Direito Administrativo, uma vez que agora a própria Escola de Contas Públicas vai certificar esses alunos”, concluiu o diretor.

Ao expor a conquista pedagógica ao colegiado do TCE, durante a 36ª sessão ordinária, na manhã desta quarta-feira (23), o conselheiro Érico Desterro ressaltou que a ECP se transforma em umas das primeiras escola de governo no Estado a ter autonomia para a realização de curso de especialização.

O conselheiro Júlio Pinheiro, ao relembrar que a ECP vai ganhar uma nova sede este ano, reconheceu o trabalho do conselheiro Érico Desterro, que, segundo ele, é um mestre nato e um professor preocupado com a formação. Na avaliação dele, o novo status da Escola de Contas é fruto do amadurecimento dela ao longo de seis anos.

O conselheiro-presidente, Josué Filho, ao concordar com Júlio Pinheiro, ressaltou o grande números de agentes públicos formados pela Escola de Contas tem se refletido no número de adimplência junto à Corte de Contas. Em 2014, relembrou Josué Filho, o número de gestores públicos que entregaram as prestações de contas no prazo chegou a quase 100%, tendo atingido a totalidade, por exemplo, com as Câmaras Municipais.

Amazonianarede-TCE,AM

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.