Vettel: a fera das pistas vence mais uma

(Por André Spigariol – F! Mania)

Sebastian Vettel voltou a fazer história neste domingo (24), ao vencer o Grande Prêmio do Brasil, no circuito de Interlagos (São Paulo).

Dominante durante boa parte da prova, o alemão não teve dificuldades para conquistar sua nona vitória consecutiva na Fórmula 1 (13ª no ano), igualando o recorde de Alberto Ascari. Mark Webber completou a dobradinha da Red Bull e se despediu da F1 com um segundo lugar. Fernando Alonso batalhou durante toda a prova e foi o terceiro.

Jenson Button foi o quarto na corrida paulistana, o melhor resultado da McLaren em 2013, uma das piores temporadas da história do time de Woking. O inglês ficou logo à frente de Nico Rosberg, quinto colocado, assegurando o vice-campeonato de construtores para a Mercedes. Sérgio Pérez foi o sexto, à frente de Felipe Massa, que fez bela corrida de despedida da Ferrari, mas foi prejudicado por uma punição. O top-10 foi completado por Hulkenberg, Hamilton e Ricciardo.

Como foi a corrida em Interlagos

Na largada, Vettel saiu mal e deixou o espaço para Rosberg tomar a liderança. O alemão ficou ensanduichado pelas duas Mercedes, já que Hamilton também largou bem e ultrapassou Alonso e Webber. Felipe Massa fez excelente partida e saltou para sexto. No final da primeira volta, Vettel colou em Rosberg e retomou a liderança; Alonso, por sua vez, deixou Hamilton para trás.

Já na volta seguinte, Webber se recuperou da largada ruim e fez uma linda ultrapassagem por fora sobre Hamilton na curva do Laranja. Romain Grosjean, que vinha em ótimo fim de semana para conseguir o vice-campeonato de construtores para a Lotus, ficou fora de combate logo na quarta volta, com o motor estourado no último trecho da pista. Enquanto isso, Alonso dava um passo para garantir o vice para a Ferrari, deixando Rosberg para trás e assumindo a segunda posição.

Na sexta volta, Webber ia dando show: novamente por fora na curva do Laranja ele tentou ultrapassar Rosberg. O alemão ficou esperto e não deixou, porém no fim da volta, o australiano fez bela manobra por fora no S do Senna para assumir a terceira colocação. Hamilton viu a oportunidade e acelerou para colar na traseira do companheiro de equipe. No meio do pelotão, Button e Ricciardo iam brigando por pontinhos: o inglês ganhou a oitava posição do australiano na nona volta.

Com dez voltas, os pontuáveis eram os seguintes: Vettel, Alonso, Webber, Rosberg, Hamilton, Massa, Hulkenberg, Button, Ricciardo e Bottas. Entre os ponteiros, a briga era pelo segundo lugar: Webber pressionava, mas, mesmo com a asa aberta não conseguia deixar o espanhol para trás. Na terceira posição agora aparecia Hamilton: Rosberg tinha problemas de aderência na traseira e foi ordenado pela equipe a deixar o companheiro passar. Na 13ª volta, Webber finalmente conseguiu, abriu a asa e passou Alonso no S do Senna.

Button seguia fazendo ultrapassagens: na 14ª volta, colou em Hulkenberg e deixou o alemão para trás na curva do lago para ganhar a sétima posição. No mesmo ponto, Felipe Massa chegou e passou Rosberg, que continuava com dificuldades para manter sua Mercedes equilibrada, uma volta mais tarde. O alemão, em seguida, recebeu um comunicado da equipe que a chuva poderia cair dentro de dez minutos. O mesmo ocorreu com Maldonado, que pediu para parar no box, mas a equipe disse para esperar a água. Já a Ferrari informava a Alonso que poderia chover na segunda metade da prova.

Mas não demorou muito para o céu começar a falar: na 18ª volta começou a chuviscar sobre o circuito paulistano. Mesmo assim, os pilotos iam fazendo suas paradas normalmente, colocando pneus macios. Na 20ª volta, Massa foi para o box, colocando pneus para pista seca, o mesmo que Sergio Pérez fez. Em seguida, vários pilotos fizeram seus pit-stops, ninguém arriscando compostos intermediários.

Jenson Button ia se sentindo em casa em São Paulo: na 22ª volta deixou Ricciardo para trás no S do Senna e Gutiérrez – por fora – na curva do Laranja. Com 24 voltas, Webber foi para o box finalmente, mas não conseguiu voltar à frente de Alonso, que vinha voando na pista para retomar a vice-liderança. A parada do australiano foi dois segundos mais lenta que a do espanhol.

Logo depois, foi a vez de Vettel ir para o box, mas dessa vez deu tudo certo e o alemão retornou para a pista na liderança. Na 25ª passagem, os dez primeiros eram: Vettel, Alonso, Webber, Massa, Hamilton, Button, Rosberg, Pérez, Hulkenberg e Ricciardo. Webber não se rendeu após perder a segunda posição na estratégia e passou o piloto da Ferrari no braço na primeira perna do S do Senna. Alonso ainda tentou dar o troco na curva do Lago e no Laranja, mas não deu; ainda assim, Fernando permaneceu na cola de Mark.

Agora, a briga da vez era Massa contra Hamilton. O inglês pressionava o brasileiro, que, em casa, conseguia se defender nos dois pontos de utilização da asa móvel. Mas Felipe levou uma ducha de água fria ao levar um drive through por cruzar a linha branca da entrada do box sem entrar no pitlane. “É inacreditável e inaceitável!” bradou o brasileiro pelo rádio; ao cumprir a punição, ele gesticulou acintosamente para os comissários da FIA.

Com 37 voltas completadas, os dez primeiros eram: Vettel, Webber, Alonso, Hamilton, Button, Rosberg, Pérez, Massa, Hulkenberg e Ricciardo. O penalty imposto a Massa praticamente enterrava as chances de vice-campeonato para a Ferrari. Na câmera onboard do carro de Alonso, apareciam alguns pingos de chuva. Pouco depois, Gutiérrez comunicava a Sauber pelo rádio que estava chuviscando. O companheiro, Nico Hulkenberg também comunicou que estava sentindo algumas gotas na primeira curva. Enquanto isso, o vento ficava mais forte em Interlagos. No Morumbi, bairro próximo ao circuito, já chovia forte.

Com 45 voltas, começava a segunda rodada de pit-stops. Massa, Button, Rosberg e Pérez eram os pilotos que já haviam parado, entre os dez primeiros. Na 46ª a ordem era a seguinte: Vettel, Webber, Alonso, Hamilton, Hulkenberg, Button, Rosberg, Pérez, Massa, Di Resta.

No giro 47, aconteceu tudo: Bottas e Hamilton se tocaram – o finlandês, fechado pelo inglês, abandonou com um pneu dechapado e o inglês teve um furo no pneu mas conseguiu voltar ao box para subistituí-lo. Vettel, enquanto isso, tinha uma parada muito lenta nos boxes (faltou um pneu para trocar!) e atrasava Webber, que ficou parado na “fila do posto”: a Red Bull tentou uma parada dupla, mas não contava com o atraso. Melhor para Alonso, que descontou toda a vantagem do australiano, fez melhor volta da prova e colou na traseira da Red Bull. E a vantagem de Vettel era agora de apenas 5s5.

Na 51ª volta, a FIA decidiu punir Hamilton pela colisão com bottas: drive through. Para piorar, o inglês tinha um dano no assoalho. Pelo rádio, ele se chateou: “Mas não foi minha culpa!”. Com 55 passagens, os dez primeiros eram: Vettel, Webber, Alonso, Button, Rosberg, Pérez, Massa, Hulkenberg, Ricciardo e Hamilton. Na pista, chovia um pouco mais forte, mas nada que ameaçasse mudar a história da corrida.

A corrida caminhava para o fim e a Red Bull alertava que poderia cair chuva forte a qualquer momento, mas não haveria tempo para atrapalhar a vitória de Vettel, que ia tranquilo na primeira posição na 68ª volta. E assim foi: sem chuva, o alemão venceu sua nona corrida consecutiva e a 13ª na temporada 2013. Webber completou a dobradinha e se despediu da F1 com o terceiro lugar no campeonato de pilotos. Alonso completou o pódio.

A Fórmula 1 volta à ativa agora somente no ano que vem, com os testes de pré-temporada a partir de fevereiro.

Confira o resultado do GP do Brasil:

1) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 2 pit-stops
2) Mark Webber (AUS/Red Bull), 2
3) Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 2
4) Jenson Button (ING/McLaren), 2
5) Nico Rosberg (ALE/Mercedes GP), 2
6) Sergio Perez (MEX/McLaren), 2
7) Felipe Massa (BRA/Ferrari), 3
8) Nico Hulkenberg (ALE/Sauber), 2
9) Lewis Hamilton (ING/Mercedes GP), 3
10) Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso), 2
11) Paul di Resta (ESC/Force India), 2
12) Esteban Gutierrez (MEX/Sauber), 2
13) Adrian Sutil (ALE/Force India), 3
14) Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), 2
15) Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso), 3
16) Pastor Maldonado (VEN/Williams), 2
17) Jules Bianchi (FRA/Marussia), 2
18) Giedo van der Garde (HOL/Caterham), 3
19) Max Chilton (ING/Marussia), 3
OUT) Charles Pic (FRA/Caterham), 1
OUT) Valtteri Bottas (FIN/Williams), 2
OUT) Romain Grosjean (FRA/Lotus), 0

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.