Tênis de Mesa: Amanda Marques inicia projeto Rio 2016

Amazonianarede – Sejel

Manaus – A mesatenista amazonense Amanda Silva Marques, de 20 anos, inicia no mês de março a longa trajetória rumo aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016. Integrante da seleção brasileira desde as categorias de base, ela atualmente faz a preparação física, técnica e psicológica no Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (CTARA), o programa de excelência esportiva do Governo do Amazonas.

Conhecida nacionalmente como “Raquetinha”, a atleta treina de manhã e à tarde no CT da Vila Olímpica de Manaus, sob orientação do técnico Israel Barreto. Se não bastasse, ainda pega pesado durante uma hora na academia e corre mais meia hora. Uma prova diária de fôlego, resistência e perseverança.

O primeiro compromisso do ano será a 1ª etapa da Copa Brasil Centro Norte Nordeste, em Brasília, de 7 a 10 de março. As passagens aéreas serão oferecidas pela Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel), via CTARA.

“Esse preparação toda é para eu vencer as adversárias de São Paulo, que são as mais fortes do País, nas competições deste ano. Outro objetivo é voltar à seleção brasileira adulta e disputar a Olimpíada de 2016”, disse amazonense, que cursa o quarto período de Educação Física.

DRAMA NA VIDA ACADÊMICA

Embora tenha um currículo repleto de títulos, Amanda Marques vive um drama na vida pessoal, pois só tem o Governo do Estado como único apoiador.

“Infelizmente, a bolsa que eu tinha na faculdade foi cancelada no final do ano passado e ainda não sei como vai ser minha vida acadêmica este ano”, revela Raquetinha, ainda na esperança de fechar uma parceria com uma instituição privada de ensino superior.

À PROCURA DE NOVOS PARCEIROS

Ex-número 1 do ranking juventude da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM), Amanda Marques afirma que também está na luta para se credenciar no programa Bolsa-Atleta da Prefeitura de Manaus.

“No esporte de alto rendimento, é preciso o apoio do máximo de parceiros públicos e privados. Por enquanto, só o Governo do Amazonas está me ajudando, mas estou correndo atrás do Bolsa-Atleta da Prefeitura também”, ressalta Raquetinha.

Segundo a mãe da atleta, a aposentada Rosana Silva, 49, o investimento mensal em materiais esportivos gira em torno de R$ 2 mil. Sem falar nos custos com hospedagem e alimentação durante as competições oficiais, que neste caso significam aproximadamente R$ 20 mil por temporada.

“É um custo que a família já não consegue mais absorver, por isso precisamos de mais apoio para ela continuar representando o Amazonas lá fora”, explica dona Rosana. 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.