Susam terá ações para reforçar o enfrentamento da Aids no estado

As ações no combate ao HIV serão intenssa
As ações no combate ao HIV serão intenssa
As ações no combate ao HIV serão intenssa

Amazonas – A Secretaria Estadual de Saúde (Susam) anunciou, nesta segunda-feira (14), ações que irão reforçar o enfrentamento da Aids, doença que registra alta incidência no Amazonas. Entre as medidas estão a criação de um selo de qualidade a ser concedido às maternidades que conseguirem zerar os registros de crianças expostas à transmissão vertical (de mãe para filho) do HIV e a ampliação do número de municípios do interior que passarão a receber, a partir deste mês, o kit maternidade (com medicamentos de profilaxia do HIV), a ser adotado nos casos de mãe HIV positiva.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, as ações incluem, ainda, uma parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), para que a Unidade Móvel da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) – que oferece testes rápidos de HIV e Sífilis – passe a desenvolver atividades voltadas para o público jovem. Também abrange o projeto de descentralização do atendimento ambulatorial dos pacientes vivendo com a HIV, que já está em fase final de discussão com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

O anúncio das medidas foi feito durante a abertura do “Curso de Atualização em Infecções Sexualmente Transmissíveis, com ênfase na Aids e  Hepatites Virais”, que começou nesta segunda-feira e vai até sexta-feira (18), no salão de reuniões do Manaus Express Hotel, no Vieiralves. A programação reúne profissionais de saúde da capital e de mais 45 municípios do interior.

Além de Pedro Elias, participaram da abertura do curso o representante do Ministério da Saúde, João Paulo Toledo, do Departamento Nacional de DST/Aids, e  secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão e o diretor-presidente da FMT, em exercício, Marcus Vinícius Guerra.

O selo que passará a ser conferido às maternidades e unidades hospitalares do interior que conseguirem zerar os casos de transmissão vertical do HIV, deverá ser lançado por ocasião do Dia Mundial de Combate à Aids, comemorado em 1º de dezembro. Sobre os “Kits Maternidade”, Pedro Elias destacou que 20 municípios do interior já vêm recebendo os insumos.

Susam vai atacar o combate a AIDS no Amazonas
Susam vai atacar o combate a AIDS no Amazonas

Neste mês de setembro, outros 21 passam a integrar a lista e, até o final de outubro, todos os hospitais do interior já estarão com a cobertura desta ação. “Já ofertamos o teste rápido de detecção de HIV em todos os 61 municípios do interior. Disponibilizar o kit de profilaxia, para os casos de gestantes diagnosticadas com o vírus, é uma medida complementar e essencial nos nossos esforços de detecção precoce e tratamento da doença. No caso dos recém-nascidos, isso significa evitar que eles sejam infectados”, disse o secretário.

O Amazonas está, hoje, entre os Estados brasileiros com a maior taxa de detecção de casos de HIV. “Em parte, isso reflete os esforços que temos empreendido para ampliar o acesso das pessoas ao diagnóstico precoce da doença, mas também exige que façamos urgentemente uma análise de nossos planos de trabalho voltados para esta área, a fim de desenvolvermos ações mais efetivas, sobretudo no campo da prevenção, voltadas principalmente para o público jovem”, afirmou ele. A exemplo do que ocorre no restante do Brasil, esta parcela da população tem registrado um aumento expressivo de infecção pelo HIV.

Entre as ações com ênfase no público jovem que deverão ser implementadas ainda neste segundo semestre, está a utilização da Unidade Móvel da FMT, em ações voltadas para este público, reforçando o projeto “Viva Melhor Sabendo – Jovem”, que procura estimular as pessoas que estiveram em situação de risco para a transmissão infecções sexualmente transmissíveis, principalmente HIV e Sífilis, a realizarem os testes rápidos que permitem o diagnóstico precoce dessas doenças, para início do tratamento.

A Coordenação Estadual de DST/Aids e Hepatites Virais firmou parceria com o Unicef e recebeu recursos para dar uma roupagem nova à Unidade Móvel, que ganhará um visual com referências à cultura jovem.

A utilização de preservativo, continua valendo
A utilização de preservativo, continua valendo

“O novo layout já está sendo desenvolvido por um grupo de jovens que foi convidado a participar do projeto e, provavelmente, até novembro, deveremos estar apresentando à população a programação a ser desenvolvida”, disse a coordenadora estadual de DST/Aids, Silvana Lima.

 

Descentralização

Atualmente, a FMT-HVD, unidade de referência da rede estadual de saúde para o tratamento de pacientes com HIV, faz o acompanhamento de aproximadamente 9 mil pacientes que vivem com o vírus. A Susam e a Semsa estão finalizando as discussões que visam ampliar a descentralização do atendimento ambulatorial desses pacientes, com o fortalecimento dos Serviços de Acompanhamento Especializado em HIV/Aids (SAEs) e a vinculação destes à Unidades Básicas de Saúde (UBS).

“A proposta prevê que os pacientes em fase inicial de tratamento e aqueles com quadro absolutamente estável, possam ser acompanhados pelos SAEs e suas UBS vinculadas, permitindo que a FMT centralize seus esforços nos casos agravados”, explica Silvana Lima. Outra proposta que está em estudo é a implantação de um quinto SAE – atualmente, há quatro funcionando na rede de Atenção Básica -, na Fundação Alfredo da Matta, que hoje já faz uma boa parcela de diagnóstico de casos de HIV positivo.

 

Atualização e Reunião técnica

O curso de atualização que começa na segunda-feira (14) abordará os Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas (PCDT) em Infecções Sexualmente Transmissíveis, Aids e Hepatites Virais e outros documentos recentemente lançados pelo Ministério da Saúde. Os PCDTs são os documentos oficiais do Sistema Único de Saúde (SUS), destinados a estabelecer os critérios para o diagnóstico dessas doenças ou agravos, bem como o tratamento preconizado, incluindo os medicamentos e demais tecnologias apropriadas, as posologias recomendadas, os cuidados com a segurança dos doentes, os mecanismos de controle clínico, o acompanhamento e a verificação dos resultados terapêuticos a serem buscados pelos profissionais de saúde e gestores do SUS. O curso está sendo promovido pela coordenação estadual de DST/Aids.

“Temos promovido uma série de capacitações e ações locais, voltadas para servidores da saúde, da educação e de organizações não governamentais, com o intuito de fortalecer as estratégias de ações voltadas à melhoria da saúde da população. A ampliação de diagnóstico para HIV, Sífilis e Hepatites B e C; ampliação da rede de atendimento; fortalecimento dos serviços de atendimento especializado;  ampliação do acesso ao diagnóstico para as populações-chave, que já estão sendo implementadas no Estado, integram esse esforço coordenado”, frisa Silvana Lima.

Além do Curso de Atualização em ISTs, o evento incluirá também a reunião dos coordenadores municipais de DST/Aids. A partir da quarta-feira (16), eles estarão integrados à programação, para avaliação dos planos de trabalho e das ações desenvolvidas para o enfrentamento da doença no Amazonas, inclusive as que fazem parte do Acordo de Cooperação Interfederativa (Interfam), firmado pelo Governo do Amazonas e o Ministério da Saúde, em junho do ano passado, para o fortalecimento das ações de controle de HIV/Aids.

As ações previstas no acordo, destinadas à melhoria dos indicadores da doença no Estado, estão sendo executadas em Manaus e nos municípios de Parintins, Tabatinga e Benjamin Constant, considerados prioritários. “A cooperação tem caráter interfederativo – reunindo, portanto, o Governo Federal, Governo do Estado e as Prefeituras dos municípios envolvidos no projeto – e contempla, ainda, a participação de entidades da sociedade civil, principalmente as ligadas à luta contra a Aids”, frisou a coordenadora.

 

Indicadores – De janeiro a julho deste ano, já foram notificados 622 novos casos de Aids no Amazonas. De 1986 a outubro de 2014, o Amazonas registrou 11.076 casos doença. Do total, 9.470, encontram-se, em tratamento nas 16 (dezesseis) Unidades Dispensadoras de Medicamentos (UDM), distribuídas nos seguintes municípios: Manaus 8.987 (96,7%), Tabatinga 93 (1,0%), Parintins 78 (0,83%), Tefé 55 (0,59%), Itacoatiara 39 (0,41%) e Coari 20 (0,21%). No estado a taxa de detecção de Aids por 100 mil habitantes chegou a 37.1.

Amazonianarede-Susam

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.