Segunda etapa da Ponta Negra sem previsão de entrega

Ponta Negra
Nova Ponta Negra 2Amazonianarede/G1

Manaus – A Prefeitura de Manaus ainda não tem uma data definida para o término das obras da segunda etapa de revitalização da Ponta Negra e a população está ansiosa para a conclusão das obras, considerando que a Ponta Negra hoje é o maior local de lazer para os manauaras.

O projeto tinha previsão inicial de ser entregue em setembro deste ano ao custo de R$ 57 milhões – R$ 29,5 milhões na primeira etapa e R$27,5 milhões na segunda. De acordo com a assessoria da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), a segunda etapa já tem 30% das obras concluídas.

Ainda há muito a ser feito no local e os principais itens que constam no projeto não saíram do papel como, por exemplo, a Torre Mirante e o terminal flutuante para barcos. A torre, que serviria como ponto de observação, não tem data para ser entregue. O motivo, segundo a Seminf, seria a licitação, pois não há apresentação de propostas.

A execução do projeto é feita pela Mosaico Engenharia, Indústria e Comércio de Artefato de Concreto LTDA, que venceu licitação feita no semestre passado. Para a Seminf a obra não esta atrasada, e sim dentro dos tramites contratuais do prazo, de 180 dias. Mas, pelo contrato, deveria ficar pronta no fim deste mês. Contudo, a empresa ganhou mais seis meses, com isso o prazo para a conclusão da orla encerra-se em dezembro deste ano.

“Não há muitos locais para o lazer na capital e, quando existem, nos deparamos com esses problemas”, comentou o estudante Ítalo Bruce, 22, que encontrou, assim como outros banhistas, a praia tomada por tratores e balsas, descarregando areia.

Para piorar a situação, há dias a praia da Ponta Negra, na Zona Oeste, está interditada e não tem data para ser reaberta ao público. A Seminf, informou ainda que os reparos estão em andamento, mas não há uma data definida para conclusão.

O objetivo da interdição, segundo o colegiado do GGI – que envolve o Corpo de Bombeiros, a Polícia Militar e a Capitania dos Portos, entre outros órgãos – é melhorar as condições de segurança para os banhistas. Desde sua reinauguração, em junho de 2012, a praia registou mortes por afogamento.

O projeto

Segundo a assessoria da Seminf, a orla da Ponta Negra está sem reforma há mais de 18 anos, desde a inauguração em 1993. O local foi totalmente reformulado valorizando a nova arquitetura da região. É uma obra contemplativa, ou seja, as pessoas terão um espaço para diversão e lazer.

O projeto prevê intervenções de infraestrutura como rede de esgoto, elétrica, hidráulica e um projeto de iluminação cênica dos jardins e de todo calçadão. A Ponta Negra continuará a ser um dos principais pontos turísticos da cidade de Manaus.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.