Rio Preto quer dividir com Manicoré a hegemonia na produção de melancia

Amazonianarede – Redação – Jornal do Commercio

Manaus – O município de Rio Preto da Eva, interligado a capital pela rodovia AM-010 e integrante da Região Metropolitana de Manaus, conhecido também como a terra da laranja, devido a grande produção do cítrico e por isso, realiza anualmente a Festa da Laranja”, que se tornar também uim grande produtor de melancia e concorrer com o município de Manicoré à condição de grande produtor da fruta.

Por enquanto, essa hegemonia pertence a Manicoré, mas os produtores e autoridades ligadas ao setor no Rio Preto, começam a trabalhar para se tornar um grande rival na produção da saborosa fruta.

A “terra da laranja” está a poucos passos de se tornar um dos maiores produtores de melancia do Amazonas. O município de Rio Preto da Eva comemora produção de 200 toneladas do fruto entre 2012 até a primeira quinzena de janeiro de 2013. Para este ano, a meta é audaciosa.

Segundo o presidente da Associação dos Assentados do Iporá, Francisco de Assis de Oliveira Moraes, a meta é atingir a marca de 3.000 toneladas.

As plantações estão localizadas em terrenos do Iporá e o projeto foi desenvolvido em parceria com a Associação e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Além da melancia –que tem o tempo entre o plantio e a colheita de 60 dias-, o programa envolve também a plantação de abóbora e mandioca.

Produção local

De acordo com o subsecretário de produção do município, José Pedro Santos Souza, o objetivo é abastecer a capital amazonense, eliminando a dependência de Manaus em relação a Roraima. “O fruto é colhido, lavado e levado imediatamente para a cidade. Não tem como comparar a qualidade entre uma melancia que viaja uma hora e outra que passa mais de oito horas na estrada”, argumenta.

O agricultor e piscicultor Osvany Torres dos Santos é proprietário da Casa de Farinha onde os produtores armazenam e tratam as melancias antes de transportá-las para Manaus. “Deixei de fabricar farinha para priorizar o plantio das frutas”, comenta.

O presidente da FAEA (Federação de Agricultura e Pecuária do Amazonas) Muni Lourenço Junior, aposta na iniciativa dos produtores do Iporá, afinal é a primeira vez que a comunidade obtém tanto sucesso. “Esta é a meta que todo trabalhador rural almeja: plantar e comercializar os produtos que plantou e garantir bons lucros”, diz o representante.

Entrevista

Jornal do Commercio: Na prática, como o projeto funciona?
Francisco de Assis Vieira de Arruda: A Associação elegeu 25 famílias entre os 120 associados para o experimento na plantação de melancias desde o ano passado, que são divididos em cinco grupos de cinco produtores. Na época de colheita do grupo um, por exemplo, os outros quatro grupos colaboram para agilizar o processo. Na colheita seguinte, todos também são envolvidos.

Como são divididos os lucros?
A Associação conseguiu a autorização de um financiamento com o Banco da Amazônia, 50% do total é distribuído em parcelas iguais entre os agricultores e os outros 50% são pagos ao Basa para abater na dívida.

Como os frutos chegam a Manaus?
Assis: A Secretária Municipal de Produção conta com quatro caminhões. No entanto, dois deles estão parados por falta de manutenção. Eles são transportados em dois caminhões, sendo um da prefeitura e outro cedido pelo Incra.Dependendo da colheita, o número de viagens pode ser superior a três. Enquanto o caminhão do Incra transporta aproximadamente 950 melancias e o da secretaria transporta até 2.000.

Qual o próximo passo?
Atualmente temos 50 hectares prontos para plantar com revezamento entre os três frutos (melancia, abóbora e mandioca). O objetivo é ampliar para 100 hectares, possibilitando a participação de novos associados.

Perfil do Produtor

José de Souza, conhecido como “Maranhão” vive da agricultura há quinze anos. Atualmente, o terreno onde vive tem 5 hectares de melancia plantados. Somente na última terça-feira (15) o produtor colheu 3 mil frutos.

Típico exemplo de agricultor familiar, “Maranhão” divide com a família as obrigações com os cinco filhos, o genro e a esposa. “Os meninos ajudam quando não estão estudando e a mulher vai para Manaus vender”, explica. Além da melancia, ele também planta pimenta-doce, mandioca e banana pacovã.

Curiosidades

90 dias – tempo entre o plantio e a colheita da melancia
120 dias – tempo entre o plantio e a colheita da abóbora
1 ano e 6 meses –tempo entre o plantio e a colheita da mandioca

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.