“Problema” no Mundial, renovação é esperança do basquete para Rio 2016

03-10basqueteA seleção brasileira de basquete desembarcou nesta quinta-feira, em São Paulo, após se despedir do Mundial nas oitavas de final com uma derrota para a França.

Na chegada, Érika e Adrianinha, as mais experientes do grupo, admitiram que o momento de renovação contribuiu para que o Brasil não voltasse com um resultado melhor, mas destacaram que o processo foi importante levando em consideração o próximo objetivo, os Jogos Olímpicos de 2016, no Brasil.

– Sabíamos que ia ser muito difícil a renovação da seleção, as meninas entraram muito bem, deram o máximo delas, mas infelizmente as outras equipes estavam mais preparadas. Agora é se preparar melhor para as Olpimpíadas no Rio – disse a pivô Érica.

A armadora Adrianinha também apontou a falta de experiência como um problema, no entanto, prefere olhar para frente. Embora tenha se despedido da seleção, após quatro mundiais e quatro Olimpíadas, ela garante que este será o pensamento das meninas, que chegarão aos Jogos com mais bagagem depois do Mundial – além de Adrianinha e Érica, apenas Tamiris havia participado da disputa em 2010, com apenas 17 anos.

– Faltou experiência, tinha só duas atletas mais experientes. Talvez uma preparação um pouquinho mais longa ajudaria também. Agora já foi, é pensar para frente – afirmou, no desembarque.

Aos 35 anos, a armadora pôde compartilhar um pouco da bagagem com as meninas durante o período em que estiveram na Turquia. Mesmo fora, Adrianinha deixa o exemplo de dentro e fora de quadra, especialmente pela paixão em vestir as cores do Brasil.

– Todo atleta que veste a camisa da seleção, em qualquer modalidade, dá o máximo. A sensação é essa, que dei meu máximo toda vez que vesti essa camisa – disse.

Fonte: Globoesporte.com

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.