Policiais civis denunciam a falta de estrutura nos DIPs

Na capital, existem 30 DIPS, espalhados pelas diversas zonas

 

Na capital, existem 30 DIPS, espalhados pelas diversas zonas
Na capital, existem 30 DIPS, espalhados pelas diversas zonas

Amazonas – Os policiais dos 30 Distritos Integrados de Polícia  ( DIPs)  espalhados nas diversas zonas da capital, denunciam a falta de estrutura e de condições de trabalho, para que possam desenvolver de maneira satisfatória o difícil trabalho d

Além de problemas na infraestrutura, servidores denunciam acúmulo de função e defasagem no quadro de policiais civis que atuam na capital.

A reportagem exibida pela Rede Amazônica, mostrou a estrutura precária fruto da falta de investimentos nas delegacias de Manaus. Portas de vidros quebradas e substituídas por pedaços de madeira, mobiliário quebrado, banheiros com a tubulação danificada e sanitários desativados, fiações elétricas expostas e lâmpadas sem funcionar são alguns dos problemas existentes nas delegacias. Assim como computadores com defeito e celas, sem lâmpadas, onde os presos passam a noite no escuro.

A reportagem flagrou que não há manutenção nem na “sala de conforto”, destinada aos funcionários. Em uma delegacia visitada, os colchões disponibilizados para os policiais ficam no chão, porque as camas estão quebradas e, algumas apoiadas em tijolos. “Esses colchões ha mais de 10 anos que não foram trocados. Colegas já adoeceram”, disse um servidor que pediu para não ser identificado.  Ele apontou ainda a falta de funcionários nas delegacias, que interfere diretamente na produção.

Acumulo de funções

Para dar conta do serviço, os policiais são obrigados a acumular funções. “Fazemos ocorrência na rua, fazemos o flagrante, levamos para a perícia. Tem pouco servidor e não tem condições de dar um atendimento eficaz para a população. Muitos registros são deixados de fazer por falta de servidor.

Tem uma sobrecarga muito grande. As vezes, ficamos com três servidores, um na base e os outros dois na rua fazendo os procedimentos, sobrecarrega todo mundo e as condições de trabalho ficam realmente ineficaz para gente”, denunciou.

O vice-presidente do Sindicato de Funcionários da Polícia Civil do Amazonas, Ordilei Araújo, apontou vários problemas enfrentamos pela categoria, por conta da falta de investimentos. “Temos a falta de viaturas, nosso ticket esta há quatro meses está atrasado, nossa database que desde o ano passado não é paga e as nossas promoções, que já vão para três anos e não somos promovidos”, denunciou.

Se por um lado, delegacias sucateadas são colocadas à disposição da população, há também prédios novos que não são inaugurados. O 16º Dip, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul, é um exemplo disto. O mesmo ocorre com o 21º Dip, bairro São Jorge, Zona Oeste. As estruturas estão prontas, mas nunca funcionaram e sofrem com a ação do tempo e de vândalos.

Abandonados

Dois outros prédios, no bairro Educandos e Japiim, Zona Sul, foram desativados e encontram-se hoje abandonados e invadidos por usuários de drogas.

O delegado geral adjunto, Izair Soares, apontou que a Polícia Civil possui cronograma de reparo para as delegacias. Contudo, as ações são feitas de acordo com o orçamento disponibilizado pelo governo do Estado. “Com relação ao efetivo da polícia civil, nós estamos relotando policiais naquelas delegacias onde a demanda é maior”, afirmou.

Soares reconheceu as dificuldades de trabalho sofridas pelos policiais civis em delegacias distribuídas nos municípios no interior do Estado, principalmente pela superlotação das celas. “Infelizmente no interior do Estado, muitas delegacias acabam virando presídios. Temos convenio com a Seap, que sempre quando esta em demasia o número de presos, a gente procura pelo menos relocar alguns desses elementos trazendo para Manaus para tentar também dar uma melhor qualidade para o policial civil, que infelizmente tem que dar uma de carcereiro. É um ônus que a gente assume, mas divide com os outros órgãos”, disse.

Em nota à Rede Amazônica, a Seinfra informou que não tem nenhuma obra referente aos prédios abandonados mencionados na reportagem. No caso do 21º DIP, falta apenas a ligação de subestação, mas não foi informada a data. Já o 16º Dip, esta com um projeto básico pronto para licitação.

A SSP-AM informou que esses Dips ainda não foram entregues oficialmente pela Seinfra. Inaugurados, a SSP fará os procedimentos de responsabilidade da secretaria.

Amaaznianarede-Rede Amaznica

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.