Polícia Civil presta esclarecimentos sobre a prisão de trio suspeito de envolvimento no caso Belota

Amazonianarede – Assessoria

Manaus – Na tarde desta quarta-feira (23) o Delegado Geral de Polícia Civil, Josué Rocha, e o Delegado Titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Divanilson Cavalcanti, responsáveis pelas investigações que elucidaram em menos de 24 horas o caso de triplo homicídio que vitimou pessoas de uma mesma família, prestaram esclarecimentos à imprensa sobre os crimes.

A coletiva de imprensa, que ocorreu na sede da Delegacia Geral, contou ainda com as participações de Delegados Adjuntos da DEHS; do Diretor do Instituto Médico Legal (IML), Sérgio Machado; da Diretora de Perícia do IML, Marilane de Menezes; de Peritos do Instituto de Criminalística (IC) envolvidos desde o início das investigações.

De acordo com o Titular da DEHS, Divanilson Cavalcanti, os crimes foram planejados de maneira minuciosa por cerca de três semanas e executados sob a coordenação do parente das vítimas, o publicitário Jimmy Robert de Queiroz Brito, 33. Participaram ainda dos crimes Rodrigo de Moraes Alves, 19, e Ruan Pablo Bruno Cláudio Magalhães, 18.

A preservação do local dos crimes e as provas testemunhais confirmando a presença dos três suspeitos nas residências foram fundamentais para a elucidação da dinâmica dos assassinatos. Gabriela Belota, 26, foi a primeira a ser morta, por asfixia, e a mãe dela Gracilene Belota, 59, teria sido a segunda vítima do condomínio parque Solimões. O cachorro da família teve morte causada por asfixia.

O pai de Jimmy, Roberval Roberto de Brito, 63, foi à última vítima deste caso que causou comoção na sociedade amazonense. A perícia realizada no corpo dele identificou que a causa da morte foi choque hemorrágico, por conta dos ferimentos no pescoço. A mesma dinâmica foi identificada em todos os homicídios.

Durante a coletiva a Polícia Civil disponibilizou à imprensa as imagens do circuito interno de segurança do condomínio onde mãe e filha moravam, que mostram os suspeitos entrando na residência das vítimas, as armas e os veículos utilizadas nos crimes.

Rodrigo e Bruno alegaram que os crimes foram motivados pela herança, estimada em R$ 200 mil, que Jimmy receberia por ser o único beneficiário. O laudo pericial conclusivo deverá encerrar o caso.

Jimmy, Rodrigo e Bruno serão encaminhados para a cadeia pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa. Onde ficarão à disposição da Justiça. Eles responderão pelos crimes de Homicídio Triplamente Qualificado, com motivo torpe e maus tratos. Rodrigo foi autuado em flagrante por Porte Ilegal de Arma de Fogo de uso permitido. 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.