Para evitar final alemã, Barcelona busca milagre em casa

Barcelona – Equipe precisa de cinco gols de diferença para reverter tragédia em Munique.

Está nos pés dos craques do Barcelona evitar a primeira decisão 100% alemã da história da Liga dos Campeões. Após a classificação do Borussia Dortmund, que segurou o Real Madrid e avançou após uma derrota por 2 a 0 na terça-feira, o elogiado time catalão, considerado o melhor do mundo nos últimos quatro anos, precisará de uma atuação de gala para golear o Bayern de Munique por cinco gols de diferença, reverter o massacre de 4 a 0 sofrido no jogo de ida, em Munique, e avançar à terceira final em cinco temporadas – o time foi campeão europeu em 2009 e 2011, e caiu nas semifinais em 2010 e no ano passado. Uma vitória por 4 a 0 leva a decisão para a prorrogação. Derrota por quatro gols de diferença mas com gol marcado fora de casa dá a vaga ao Bayern.

Até hoje, o mais rico torneio de clubes do mundo já teve finais entre espanhóis (Real Madrid bateu o Valencia, em 2000), italianos (Milan bateu a Juventus nos pênaltis, em 2003) e ingleses (Manchester United superou o Chelsea, em 2008, também nos pênaltis). Se o Bayern se segurar e confirmar o favoritismo, a Alemanha se iguala a esses países e dá mais uma prova do bom momento que seu futebol vive desde que sediou a Copa do Mundo, em 2006.

Dentro de campo, o principal problema do Barcelona é defensivo: o lateral-esquerdo Alba e o volante Busquets, machucados, estão fora da partida, assim como os zagueiros Puyol e Mascherano. O técnico Tito Vilanova deve escalar o miolo de zaga com Piqué e Montoya, com os brasileiros Daniel Alves e Adriano nas laterais. Duas vitórias recentes por 4 a 0 movem o time em busca da vida: contra o Milan, nas oitavas de final, depois de perder por 2 a 0 na Itália, e contra o próprio Bayern, em 2009, também por 4 a 0, nas quartas de final – mas aquele era o jogo de ida, e na volta um tranquilo enmpate por 1 a 1 selou a classificação catalã. Messi marcou dois gols em cada um desses jogos – mas a dúvida é saber se estará em forma, depois de se machucar contra o Paris Saint-Germain e praticamente andar em campo em Munique. “Sabemos da importância de Messi para este time, principalmente na hora da finalização das jogadas. Quanto melhor ele estiver, maiores as chances de nos classificarmos. No entanto, não podemos pressioná-lo, temos que ajudá-lo”, declarou o técnico Tito Vilanova.

O Bayern vai a campo tranquilo. O técnico Jupp Henkckes, que em julho entrega o cargo para o ex-barcelonista Pep Guardiola, tenta manter os jogadores concentrados, mas quer acima de tudo mostrar que o resultado da semana passada não foi um acaso. “Queremos provar que o jogo em Munique não foi uma situação excepcional.

Precisamos levar o adversário em conta. Temos nossa filosofia no futebol e, nessa temporada, já provamos que o Bayern é um grande time com futebol do melhor nível. Temos nossa cultura e podemos marcar gols no Camp Nou”, disse. Sua maior preocupação é com os cartões amarelos: o zagueiro Dante, o lateral e capitão Philipp Lahm, os meias Javi Martínez e Schweinsteiger e o atacante Mario Gomez estão pendurados, ou seja, correm o risco de não jogar a decisão.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.