Para cúpula do PMDB Temer “escorregou” ao falar da baixa popularidade de Dilma

Themer falou demais, tocando na impopularidade de Dilma
Themer falou demais, tocando na impopularidade de Dilma
Temer falou demais, tocando na impopularidade de Dilma

Brasília – A cúpula do PMDB acredita que o vice-presidente da República, Michel Temer, “escorregou” na quinta-feira,  ao dizer que será difícil a presidenta Dilma Rousseff concluir os próximos três anos de mandato se os índices de popularidade continuarem tão baixos como os atuais.
Os peemedebistas concordam que Temer disse o que realmente pensa sobre cenário político-econômico, mas que não deveria sequer ter aceitado o convite para participar de um evento promovido pelo movimento “Acorda Brasil”, grupo que defende o impeachment da presidenta Dilma.

Temer foi questionado sobre os cenários que podem levar ao afastamento da petista e respondeu: “Hoje o índice [de popularidade] é realmente muito baixo. Ninguém vai resistir três anos e meio com esse índice baixo”, avaliou. “Se continuar assim, 7% de popularidade, de fato fica difícil passar de três anos”, afirmou o vice-presidente.
“Acho que ele escorregou por estar em um ambiente que ele não dominava e é hostil”, comentou um cacique da legenda, que falou em condição de anonimato. Segundo ele, Temer não está “habituado ao embate contrário, público e agressivo” e que, uma vez aceito o convite para o encontro, deveria ter se preparado para enfrentar a situação.
Já os peemedebistas favoráveis ao rompimento com o governo avaliariam que o vice-presidente foi honesto em suas palavras. Parlamentar próximo ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o deputado Carlos Marun (PMDB-MS) disse que Temer está apenas sendo “realista”. “Ele trocou o otimismo pelo realismo. É uma declaração que não pode ser considerada simplesmente um ato falho. O vice-presidente

Temer  relatou uma realidade”, defendeu Marun. Os petistas tentaram amenizar a repercussão da manifestação de Temer. “Acho que foram [as declarações] tiradas do contexto”, opinou o vice-líder do governo na Câmara, Paulo Teixeira (PT-SP). O petista disse que Temer vem se mostrando “muito leal a Dilma” e que ambos têm o mesmo objetivo: lutar para tirar o País da crise.

Amaznianarede-Agencias

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.