Obras e acervo pessoal de Moacir Andrade deverão ser doados pela família

Moacir, morreu aos 89 anos, na semnaa passada

 

Moacir, morreu aos 89 anos, na semnaa passada
Moacir, morreu aos 89 anos, na semnaa passada

Manaus, AM – A família do artista plástico Moacir Andrade pretende doar as obras e o acervo pessoal dele, declarou a filha dele, Gracimoema de Andrade Sampaio. Moacir, foi artista plástico, pintor, desenhista, escritor e professor, um dos maiors ícines da cultua amazonense

Moacir,  morreu na tarde de quarta (27) aos 89 anos após complicações em pós-operatório para remoção de tumor maligno nas vias biliares.

O artista completaria 90 anos em março. Era conversador, alegre e gostava de ajudar as pessoas, de acordo com a família. Gracimoema é a porta-voz da personalidade do pai que, segundo ela, além de pintor, poeta, escritor e desenhista, acima de tudo foi professor.

Ateliê do artista
Ateliê do artista

“Nós ainda precisamos contabilizar o legado dele, pois são muitas coisas que podem ir para um museu. Ele tinha muita coisa que precisam ser vistas por outras pessoas”, diz.

Ela não sabe avaliar ou elencar as principais obras do pai que estão espalhadas por vários cantos do Amazonas e do mundo.

Há obras de Andrade em repartições públicas, principalmente em órgãos militares. Três painéis de trabalhos recentes feitos em madeira estão expostos no Exército. A Marinha também recebeu cerca de 60 quadros com temas que remetem a embarcações. O Serviço Social do Comércio (Sesc) também está em processo para implantar um memorial em homenagem ao artista. O local já tem uma galeria de arte denominada Moacir Andrade.

Carreira

Esta tela, o artista não teve tempo para terminar
Esta tela, o artista não teve tempo para terminar

De acordo com a filha de Moacir, o pai realizou muito do que ele gostaria de ter feito. O ateliê do pintor ainda conta com toque pessoal do artista. Molduras, livros e telas inacabadas ainda estão expostas como se o dono do pincel fosse voltar a qualquer momento.

 

“Ele realizou tudo o que queria, apesar de sempre estar com projetos em mente. Formou uma bela família, era querido por amigos, foi porta-voz da Amazônia em muitos países. Ele dizia que nunca sairia daqui”, contou.

Moacir Andrade, se inspirava pintando a natureza amaônica
Moacir Andrade, se inspirava pintando a natureza amazônica

Andrade se consagrou com obras que retratam a região Amazônica e a vida ribeirinha, mas teve várias fases, segundo a filha. Possui cerca de 50 mil telas pintadas, escreveu 20 livros e expôs as próprias produções em mais de 70 países.

Nasceu no dia 17 de março de 1927 e chegou a morar no interior do estado com os pais Severino Galdino de Andrade e Jovina Couto de Andrade. O artista iniciou a vida profissional, em 1948, como desenhista em uma empresa de construção. “O grande marco da obra pessoal era contar o que tinha visto. Ele dizia que tinha coisas que só ele tinha visto”, explicou a filha.

Amazonianarede-JAM

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.