Novo presídio de Parintins será construído na região da Vila Amazônia, onde o INCRA tem um grande projeto de assentamento

Chegada pelo Rio Amazonas, ao PA do Incra, em Vila Amazônia, onde será construído o novo presidio de Parintins

Parintins, AM – Após uma audiência pública realizada ontem, sexta-feira (28), os moradores da Vila Amazônia, no município de Parintins, a 267 quilômetros de Manaus, concordaram, por maioria dos votos, construir no local o novo presídio de Parintins, com a capacidade para 286 detentos.

No distrito, bem próximo a cidade, fica um dos maiores assentamento de reforma agrária do Amazonas, instituído pela Superintendência  Regional do INCRA, denominado Projeto de Assentamento de Reforma Agrária, Vila Amazônia, um dos maiores do Amazonas.

Além de moradores de diversas comunidades da Vila Amazônia, participaram da audiência o vice-prefeito de Parintins, Tony Medeiros, vereadores, representantes da Igreja Católica, do Instituto Nacional da Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Polícia Militar e da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

O novo presídio deverá ser construído pela Seap em um lote de terra com aproximadamente 9 hectares de extensão. A obra, segundo informou a Seap, já possui assegurado um valor de R$ 17 milhões oriundo de um fundo federal.

Com a construção da nova unidade prisional, a antiga localizada no Centro de Parintins será desativada. “Essa foi uma das reivindicações feitas pelos moradores e, juntamente com a Secretaria de Administração Penitenciária, conseguimos acatá-la. Além disso, com o presídio pronto, desativaremos por completo o que existe no Centro de Parintins”, disse o vice-prefeito Tony Medeiros.

Para Sérgio Muniz, morador da comunidade de Zé Açu, a construção do presídio é de suma importância porque atenderá não somente as demandas da própria Vila, mas também de Parintins como um todo. “Sou favorável a essa construção porque no presídio os detentos não vão ficar só presos, mas vão estudar, ter uma profissão para serem ressocializados”, salienta Muniz.

Conforme a Prefeitura de Parintins, as obras têm previsão de começar ainda este ano, com estimativa de duração de aproximadamente 3 anos. A mão-de-obra a ser utilizada, segundo a prefeitura, será preferencialmente de moradores da própria gleba de Vila Amazônia.

Amazonianarede -assessoria

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.