Índios de Parintins ajudam a fazer o carnaval em Santos

Amazonianarede – Jornal da Ilha

Santos, SP – Artistas do Amazonas, especializados em dar movimento a carros e alegorias na festa do Boi Bumbá em Parintins, estão na região ajudando a preparar o carnaval da Baixada Santista.

O trabalho cheio de detalhes dão aos objetos vida, e são a principal atração da festa folclórica da região do Amazonas, e agora no carnaval santista.

Conhecidos como ‘índios do Parintins’ os artistas há algum tempo são convidados para montar as fantasias e alegorias do carnaval em Santos. Jorge Soares Gomes, artista plástico é um dos ‘índios’.

“O mercado nacional cultural teve esse olho clínico em relação à cidade de Parintins, que têm uma quantidade muito grande de artistas, e como a mão de obra é viável para a qualidade do trabalho que é executado no sudeste, nos convidaram e começou a expandir. Graças a Deus nós agradecemos muito isso, porque não só no sudeste, mas em toda região brasileira se encontram esses ‘índios’ trabalhando. Rogério Fernandes, diretor social da Real Mocidade, conhece o trabalho dos artistas.

“Esse ano estamos com uma equipe completa, são cinco índios, cada um com uma especialidade, além de fazer trabalhos em todos os setores, mas com uma especialidade maior. É uma disputa, nós sempre vamos procurar os melhores, esse ano conseguimos uma equipe maravilhosa”, conta.

PRODUÇÃO

O processo de produção é passado pelo carnavalesco aos índios, que analisam o projeto e começam a produção a partir das ferragens, pela estrutura metálica do carro alegórico, passam pela escultura, encapamento, revestimento e por último passam pela decoração e acabamento.

“A parte fundamental independente de qualquer coisa é a parte de acabamento”, conta Jorge. Além dos carros alegóricos os índios confeccionam também fantasias da escola. Com tanto trabalho, o barracão da Real Mocidade é também a casa dos artistas.

A equipe chega ficar de 30 a 120 dias longe de casa. O artista plástico Aílton Fonseca, membro da equipe sente falta da família. “É um pouco difícil pelo tempo que a gente fica longe.

A família entende por um lado, porque todo trabalho que eu faço tem êxito”.

SAUDADE

Para diminuir um pouco a saudade de casa a equipe trabalha ao som de músicas das festas do Boi Bumbá. Renê Brandão também é do Amazonas e pela primeira vez está em Santos. “Pensei duas vezes, resolvi conhecer e acertei”, conta.

Outras escolas de samba de Santos também contam com a mão de obra de Parintins para melhorar a qualidade das apresentações do carnaval.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.