Flor Matizada abre hoje o 17º Festival de Ciranda em Manacapuru

(Amazonianarede – Redação)

A cidade de Manacapuru, às margens do rio Solimões e integrante da Região Metropolitana de Manaus, vive a grande expectativa de mais um Festival da Ciranda, o 17° que começa hoje a noite no Parque do Ingá, o popular “Cirandrodomo”, onde se apresentarão as três estrelas da festa: Os cordões de Ciranda Flor Matizada, Guerreiros Mura e Tradicional.

Para a festa, a cidade está preparada e espera receber cerca de 50 mil visitantes, para os três dias, fato que alegra os proprietários de hotéis, pousadas, restaurantes e bares da cidade.

A abertura do Festival ficará por conta da Flor Matizada, seguindo sábado com a apresentação do cordão Guerreiros Mura e o encerramento ficará com o cordão da Tradicional. Todos os três grupos ensaiaram muito, trabalharam as alegorias e estão preparados para a grande disputa, com cirandeiros e cirandeiras em ação num grandioso espetáculo.

Expectativa de público

A cidade vive durante toda a semana um clima de festa e de muita expectativa. José Maria Bastos, o coordenador do Festival, está otimista e acredita que a festa vai marcar época e colocar o Festival de Ciranda como um dos grandes espetáculos folclórico e cultural do interior amazonense.

“Esse ano esperamos uma grande demanda de visitantes para prestigiar o festival. Nossa estimativa é que o total de público dobre em relação ao ano passado, quando tivemos uma média de 30 mil visitantes. Ou seja, a expectativa é de receber 60 mil turistas”, disse Bastos.

O corpo de jurados que definirá a ciranda campeã do Festival, será composto por 12 membros, todos de fora da cidade, afim de que não haja nenhum comprometimento com os grupos de cirandeiros.

Segurança

Segundo José Bastos, o visitante que for prestigiar os três dias de festival vai contar com toda a segurança, uma vez que 200 policiais militar serão disponibilizados para trabalhar na festa. “Contaremos com o apoio das câmeras do Ciops, que farão o monitoramento tanto na Arena Parque do Ingá, quando nos seus arredores”, explicou.

Já o Detran, promete intensificar a fiscalização no trânsito, a fim de que transcorra com absoluta normalidade, o que alias tem sido uma marca registrada do festival.

Programação

Na sexta-feira (30), a ciranda Flor Matizada abre o festival apresentando o tema ‘Um canto da África no coração da Amazônia’, que conta a história de guerreiros africanos que se aventuram em meio à Amazônia, defendendo suas origens e criando um verdadeiro pedaço da África em meio às belezas da floresta amazônica.

No sábado (31) é a vez da ciranda Guerreiros Mura, com o tema ‘A fantástica jornada de um guerreiro apaixonado’, que vai contar a história de um guerreiro sonhador, que viaja em meio ao anonimato dos seus próprios sonhos, vivendo grandes aventuras desde o meio da floresta até o fantástico mundo de Oz, baseado no clássico ‘O mágico de Oz’.

O encerramento do festival, dia 1º, será feito pela ciranda Tradicional com o tema ‘Nos mistérios e encantos das águas de barranco do rio Manacapuru’, contando uma historia de amor entre um índio gavião e uma índia onça proibido por Tupã. Não podendo mais viver esse grande sentimento, as lágrimas de ambos vieram através das chuvas, que molharam os barrancos, e do orvalho que caiu nas folhas das florestas, formando assim a nascente do rio Manacapuru.

Papa títulos

Nestes 17 anos de Festival, o cordão Guerreiros Mura vem se constituindo num verdadeiro papão de títulos, já tendo conquistado nove campeonatos, mas tanto a Flor Matizada como a Tradicional querem ir a luta e diminuir a diferença de títulos entres as cirandas.

O fato é que os três grupos estão preparados para o grande desafio e os seus organizadores garantem que será um grande festival, com os brincantes dando tudo de si para belas apresentações em busca do sonhado título do Festival.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.