Família Gonzaga exige reconhecimento do Patriarca como fundador do Boi Caprichoso

Parintins – Dona Gertrudes Mendonça da Gama, 99, é uma das poucas frequentadoras do antigo curral. “Luiz Gonzaga criou o Caprichoso. Na época tinha mais ou menos uns 20 anos e levava meus filhos para assistir a brincadeira no curral da Rio Branco, onde era a casa de Luiz Gonzaga.

Tudo era muito arrumado, faziam arquibancada, até o Lindolfo Monteverde ia por lá.

Marcos Gonzaga da Gama, neto de Luiz Gonzaga, fez manifesto em carro volante e exige que a diretoria do Boi-Bumbá Caprichoso e a sociedade, reconheçam o avo como o fundador do Azul e Branco. A manifestação ocorreu segunda-feira, (03), em diversos momentos nas ruas da cidade.

“Estamos atrás da verdade e queremos que a justiça prevaleça quanto à história do Caprichoso.

O verdadeiro criador do Boi é Luiz Gonzaga, queremos mostrar a nossa versão dos fatos, mas a imprensa não abriu as portas, por isso fomos para rua”, exclama.

Segundo Marcos, a família Gonzaga apesar de ser parte da história nunca foi valorizada pelo Boi azul. O equívoco começou depois da morte de Izolina Gonzaga, em 2010, esposa de Luiz Gonzaga, que testemunhava a fundação do Bumbá.

Herdeira

Maria Inácia Gonzaga, 74, filha do “fundador”, afirma que o Caprichoso é parintinense e quem veio do Maranhão trazido por Roque Cid foi o Boi Galante. “Querem colocar uma pessoa de fora para fundador do Boi em vez de valorizar quem é da terra, isso é falta de respeito. Meu pai é parintinense, o Caprichoso nasceu em 1925, na Rua Rio Branco, onde ainda moram filhos e netos de Luiz Gonzaga”, conta.

Inácia lembra a dificuldade de Gonzaga para manter o Boi sem patrocínio: “Meu pai fundou esse Boi e sofreu para mantê-lo, passava fome para sustentar os brincantes, além dos oito filhos que tinha. Antes do Caprichoso ter dinheiro, ninguém queria o Boi.

Depois de 1963, época que meu pai faleceu, meu marido Nilo Gama dirigiu o Caprichoso por dois anos, mas como tinha muitas brigas, deixou. Não podemos ficar com o Boi porque éramos mulheres e naquela época Boi era só para os homens”, explica.

Encontro

Herdeiras dos fundadores dos Bumbás, se reuniram na manhã de ontem, na residência de Maria do Carmo Monteverde, na Baixa do São José. No encontro, Maria do Carmo confirmou a história dos Gonzaga e afirmou apoio a Inácia Gonzaga. Segundo elas, Lindolfo e Luiz Gonzaga eram amigos e se chamavam de primos. As pescarias, jogos de futebol, passeios, almoços eram motivos para unir os dois.

“Todos brigavam por causa de Boi, mas Lindolfo e Luiz Gonzaga eram amigos, pescavam juntos, jogavam bola e se chamavam de primo”,relembra Inácia Gonzaga. Já Maria do Carmo Monteverde acrescenta: “Meu pai e Luiz Gonzaga eram amigos.

Eles davam depoimentos na delegacia no dia seguinte aos Bois de rua, era regra da época, todas as confusões na brincadeira eram registradas na delegacia de polícia que ficava na João Melo”, afirma.

Nossa reportagem entrou em contato com a assessoria do Caprichoso e fomos informados da produção de um documentário com a história do Bumbá. Mas tarde, a Presidente, Márcia Baranda se pronunciou via rede social e postou: “Soube que a Família Gonzaga vai aos jornais, dizer que não foi o Roque Cid que fundou o Caprichoso…

O Boi Caprichoso é uma história linda de amor e paixão, sei que as tentativas são de me prejudicar, só que prejudicam o Boi. Eu peço a todos, vamos nos dar as mãos para ganharmos o Festival 2013”.(Ataíde Tenório – A Gazeta de Parintins)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.