Ex-zagueiro, hoje técnico, Edson Ângelo acredita em vitória do Naça contra o Vasco

Edson Ângelo atuou pelo Nacional nas décadas de 1960 e 1970. Apesar da baixa estatura, Edson ganhou notoriedade no início do profissionalismo amazonense.

Edson Ângelo de Oliveira, 69 anos, nasceu em Recife (PE) e veio para Manaus ara defender o Rio Negro no início da década de 1960. Depois passou pelo Nacional, onde teve destaque atuando na zaga nacionalina.

Edson nasceu em Recife (PE) e teve passagens no futebol do nordeste e atuou também no futebol peruano. Depois de parar de jogar, Edson passou a exercer a carreira de treinador. Ele se orgulha e ter apenas duas derrotas nas cinco vezes em que dirigiu o Nacional.

“Já dirigi o Nacional várias vezes e só perdi duas partidas. Gosto demais desse time e hoje vejo o Nacional numa ótima condição na Copa o Brasil e na Série D. Vamos classificar em primeiro do grupo. Com essas duas vitórias ficou evidente a superioridade do Nacional”, disse Edson Ângelo.

Edson veio para Manaus em 1963 ainda no amadorismo e antes passou pelo América (PE), Santa Cruz (PE), Fortaleza (CE), CNI de Iquitos, no Peru, Municipal de Lima, Peru. Em 1970 ajudou na campanha do título, mas deixou o time para ir ao Peru. O treinador visita sempre o CT Barbosa Filho e a sede do Nacional. Segundo ele, um amor que dura décadas não pode ser esquecido facilmente.

“Eu joguei no Rio Negro, mas foi aqui que tive sucesso. Gosto da torcida e da diretoria. Meu sinto em casa. Vejo todos os jogos do Nacional. Quando não vou ao campo fico vendo pela TV. Estou confiante que o Nacional vai fazer uma grande partida diante do Vasco. Acredito no time, pois, sem dúvida alguma, esse time é um dos melhores dos últimos tempos. O time que tem personalidade. As derrotas que o Nacional teve na Série D são normais. Agora o time engrenou”, afirmou Edson.

Quando se fala em melhore time da história, o treinador começa a lembrar de verdadeiros esquadrões nacionalinos, mas, impossível não se lembrar de um time que tinha irmãos Piolas, Pedro Hamilton, Lió, Mario, Rolinha, Marialvo, Téo e Range.

“Esse era um time acima da média. Naquele tempo os jogadores tinham amor pelo clube e, dificilmente saía. A gente passava várias temporadas no mesmo clube e isso fazia com que o torcedor conhecesse um por um. Éramos ídolos e o torcedor sabia na ponta da língua o time”, disse.

Campeão como treinador com o Nacional em 1982 e 2003, Edson Ângelo acredita numa vitória diante do Vasco da Gama na Copa do Brasil, nesta terça-feira, em Manaus. Edson diz que Nacional já provou nas partidas com a Ponte Preta e o Coritiba, que tem possibilidades de vencer grandes equipes.

“O Nacional venceu duas equipes da primeira divisão do futebol brasileiro. Jogar contra uma grande equipe motiva o elenco. O time tem um bom conjunto e já provou isso na Copa do Brasil. Vamos torcer e com certeza, o Nacional vai dar muito trabalho ao Vasco da Gama”, afirmou.

Fã de Danilo Rios, meia do Nacional, Edson projeta 2014 como o ano da redenção do futebol Amazonense. Segundo o técnico, o acesso do Nacional e a entrega dos novos estádios vai fazer o futebol amazonense tomar um novo rumo.

(Reportagem: Carlos de Souza – NFC)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.