Estudo realizado pela DEHS revela perfil dos homicídios registrados pela polícia civil em 2012

Amazonianarede – Assessoria

Manaus – O Delegado Geral de Polícia Civil do Amazonas, Josué Rocha, anunciou na última sexta-feira (4) na sede da instituição, estudo produzido pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros com o perfil dos crimes de homicídios registrados na unidade ao longo de 2012 a partir dos inquéritos policiais em trâmite na DEHS.

A apresentação do trabalho foi conduzida pelo titular da DEHS, Divanilson Cavalcanti, e contou ainda com a participação dos delegados adjuntos Raphael Campos, Samir Freire, Geórgia Cavalcanti e Fernando Bezerra. O encontro teve ainda a presença dos investigadores de polícia Elton Guimarães e Leno Lima, este último responsável pela compilação dos dados exibidos.

De acordo com o estudo, estima-se que pelo menos 60% dos crimes de homicídios registrados na DEHS no ano passado estejam relacionados ao tráfico de drogas e que a faixa etária dos envolvidos, tanto das vítimas quanto dos autores dos crimes, seja de 19 a 24 anos (39,7%). O estudo aponta ainda que são utilizadas armas de fogo na maioria das execuções, com um percentual de 73,8%, seguido de armas brancas (19,3%) e agressões físicas (3,3%).

“Pudemos observar que estamos perdendo muitos jovens por conta do envolvimento com o tráfico de drogas. Em função disso, a Polícia Civil continuará engajada nesta causa, atuando de forma preventiva, na tentativa de reverter esses números e proporcionar maior segurança à sociedade”, enfatizou o Delegado Geral Josué Rocha.

Segundo o levantamento, 92,0% das vítimas são do sexo masculino contra 7,3% do sexo feminino, restando ainda 0,7% para esclarecer. Outro dado divulgado a partir da iniciativa inédita é que grande parte das ocorrências são registradas aos sábados e domingos, das 19h às 23h, com incidência maior de homicídios às 22h.

A Zona Leste lidera as ocorrências de homicídios com 32,9% dos casos, seguida da Zona Norte (21,8%); Zona Oeste (15,6%); Zona Sul (15,2%); Zona Centro-Oeste (5,7%); Zona Centro-Sul (3,6%); Zona Rural (1,5%) e Interior, com 1,1%. A esclarecer ainda restam 2,6% dos casos.

São José, Jorge Teixeira, Compensa, Cidade Nova, Tarumã, Centro, Terra Nova, Tancredo Neves, Alvorada e Zumbi figuram, em ordem decrescente, na relação dos bairros com maior incidência de homicídios na capital, segundo o estudo.

De acordo com o delegado Divanilson Cavalcanti o trabalho investigativo será utilizado para balizar ações tanto da Polícia Civil quanto da Secretaria de Segurança Pública (SSP), servindo de base para que os gestores tomem decisões estratégicas a partir do perfil de criminalidade apontado pelo estudo. “Estamos com uma equipe renovada e fazendo algumas adaptações técnicas. Nossa meta é avançar e aprimorar o nosso trabalho, buscando sempre a excelência nas nossas ações”, declarou o titular da DEHS.

Entusiasmado com o trabalho apresentado, o Delegado Geral Josué Rocha ressaltou a importância em dar continuidade à iniciativa. “Quero parabenizar a equipe da Delegacia de Homicídios que tem se empenhado neste projeto. É muito importante que tenhamos um estudo mais aprofundado sobre a criminalidade, não somente para a polícia, mas que poderá ser utilizado por pesquisadores, sociólogos, antropólogos e compartilhado com a sociedade em geral”, argumentou. 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.