“Décimo terceiro”: bandeira 2 vale a partir de hoje em Manaus

(Amazonianarede – Redação)

A partir de hoje, 1º de dezembro, os taxistas de Manaus ganharam o direito e passarão a cobrar a bandeira dois a qualquer hora do dia.

A cobrança, estabelecida como uma forma de garantir o 13º salário aos taxistas, é assegurada pelo Decreto Municipal 4856/00. As corridas de táxi devem ficar 35% mais caras até o dia 1° de janeiro, conforme determinação do decreto.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos e Taxistas do Amazonas (Sintax/AM), Luiz Augusto Aguiar, o usuário paga, de segunda a sexta-feira, das 6h às 22h, na bandeira 1, em que a bandeirada tem o custo de R$ 3,50 e o quilômetro rodado é R$ 2,20, o chamado pulo. Enquanto que, das 22h às 6h em dias úteis, nos finais de semana e feriados, o taxímetro funciona em bandeira 2, em que a bandeirada também é R$ 3,50, mas o quilômetro rodado sai a R$ 2,97. “A partir do dia 1° de dezembro até 1° de janeiro, os táxis vão rodar a qualquer hora e dia da semana em bandeira 2, o que é autorizado pelo Decreto Municipal 4865/00, o que funciona como um 13° salário para a gente”, disse.

Aguiar afirmou que muitos usuários deixaram de reclamar do decreto. Mas, segundo ele, na próxima quinta-feira, o Sintax/AM vai distribuir aos taxistas um comunicado sobre a autorização para utilizar a bandeira 2 no mês de dezembro.

“Assim se o cliente for questionar porque está em bandeira 2, o taxista terá como comprovar que não está agindo nailegalidade. As pessoas ainda se confundem quando se fala em bandeira 2, acham que o valor do ‘pulo’ dobra e não é isso. O aumento é de 35%, ou seja, se uma corrida na bandeira 1 deu R$ 10, em bandeira 2 será de R$ 13,50; se for R$ 20, custará R$ 27 e assim por diante”.

Segundo a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), atualmente, 4.041 táxis têm concessão para atuar na cidade.

O presidente do Sintax/AM disse, ainda, que cerca de 6 mil taxistas circulam nesses veículos que possuem concessão municipal. Segundo ele, aproximadamente 2 mil são auxiliares, que dividem o táxis ou alugam para atuar. “Para atuar, todos eles têm que ter o carteirão, que é expedido na SMTU, na presença do dono do táxi licenciado. Assim, a superintendência expede o documento do auxiliar com o número da placa e do TA dos táxis.

Com relação ao fato, a população entende e acha justo que essa cobrança sirva como uma espécie de 13º salário a classe dos taxistas de Manaus e segundo d. Maria José Aquino Lopes, “todos são filhos de Deus e tem o direito a fazer uma boa festa de Natal com as famílias”, disse.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.