Ciranda Flor Matizada abriu o Festival e AM-070 opera com radares

(Amazonianarede – Redação)

Com a presença de um grande público no “Cirandrodomo”, o cordão de ciranda Flor Matizada, fez ontem na noite a apresentação de abertura do 17º Festival de Ciranda de Manacapuru, a maior promoção cultura do município que fica próximo a Manaus, ligada por terra e água a capital, dentro da Região Metropolitana da Grande Manaus.

O tema “Um Canto da África no Coração da Amazônia”, apresentado pelo cordão alegrou a plateia no Parque do Ingá que viverá hoje a sua segunda noite com a apresentação do grupo alegrou e entusiasmo a noite que terá hoje o segundo grupo a se apresentar o cordão de ciranda Guerreiros Mura e será encerrado domingo com a apresentação da Ciranda Tradicional.

Os organizadores do Festival aguardam para hoje um público bem superior ao da abertura, considerando que tradicionalmente no segundo dia, a influência do público sempre é a maior durante o Festival.

As cirandadas (músicas) levaram mensagens sobre a importância da miscigenação entre índios, brancos e negros no país e em especial no Estado, para “gritar o que fora silenciado, de expor uma invisibilidade histórica: a presença de negros na Amazônia, um ‘canto’ de variados sentidos e expressões”.

No auge da apresentação, que durou um pouco mais de duas horas, a Matizada mostrou figuras como o pássaro carão, habitual na composição da Ciranda.

Uma grande alegoria representado a ave foi a responsável pela chegada, em grande estilo, da porta cores Fernanda Sabóia, seguida pelo cordão principal de cirandeiros, que mostraram sincronia no bailado.

Transito e segurança

A principal preocupação, antes do início da festa, à noite, é com a rodovia Manoel Urbano (AM-070, Manaus-Manacapuru), que está em obras de duplicação e tem vários trechos perigosos. Há preocupação especial com o trecho entre os KMs 45 e 50, devido aos buracos, que são muitos, por isso, algumas importantes medidas foram tomadas pelas autoridades para manter a tranquilide e segurança no trânsito.

Um grupo formado por agentes do Detran-AM, policiais do Batalhão de Trânsito, fiscais do Instituto Municipal de Trânsito de Manacapuru (Imtram) e da Agencia Reguladora de Serviços Públicos do Estado do Amazonas (Arsam) vai fiscalizar e coibir abusos no trânsito e no transporte de passageiros, a partir de hoje (30/08), ao longo da rodovia, na sede de Manacapuru e nas principais saídas da cidade.

“O nosso propósito é garantir que o festival ocorra sem registro de acidentes, ou seja, salvar vidas. E para atingir esse objetivo estaremos atuando nas vias de acesso ao Parque do Ingá em Manacapuru, na saída da Ponte Rio Negro e ao longo da rodovia Manuel Urbano. Pela manhã serão feitas ações educativas e, no restante do dia e a noite, agiremos com rigor na fiscalização do cumprimento da Lei Seca e de todos os itens da legislação de trânsito”, afirma o diretor do Detran-AM, Leonel Feitoza.

Apoio da Prefeitura

O trabalho tem apoio da Prefeitura de Manacapuru, que fornecerá pessoal e também veículos para dar suporte a ação. “Estaremos com ao menos dez radares móveis ao longo da rodovia Manuel Urbano, equipes com etilômetros e com carros guinchos para apreender todo e qualquer veículo cujo condutor insistir em desrespeitar a lei, especialmente a que proíbe o uso de bebida alcoólica ao volante”, alerta Feitoza.

Pela manhã, tanto na saída da Ponte Rio Negro quanto na entrada do município de Manacapuru, assim como também nas principais ruas da cidade, os agentes do Detran-AM estarão presentes orientando e distribuído material educativo para os condutores e, à tarde e à noite, fiscalizando.

O secretário estadual de Segurança, coronel PM Roberto Vital, anunciou que mais de 800 homens, sendo 500 policiais, civis e militares, mais corpo de bombeiros e funcionários do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) cuidarão da segurança do Festival.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.