Cheia no Solimões deixa em alerta ribeirinhos e a Defesa Civil

Amazonianarede

Tabatinga – A enchente deste ano continua causando sérios problemas para os ribeirinhos da calha do Solimões, que já começam a somar sérios prejuízos e temem o surgimento de doenças típicas da época de cheia na região.

O município de Tabatinga (a 1.106 quilômetros de Manaus) está em alerta para a elevação do nível do Rio Solimões. As águas estão a apenas 1,74 metros de atingir a maior cheia registrada na cidade, em 1999, quando o rio chegou a 13,92 metros.

Alerta

A Defesa Civil do Estado do Amazonas emitiu alerta e enviou equipes para monitorar a enchente deste ano.
Caso a subida recorde aconteça, haverá o início dos procedimentos padrões de atendimento à população, incluindo a remoção das famílias para áreas não alagadiças.

A cidade tem pouco mais de 53 mil habitantes – segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) 2012 – e está localizada no sudoeste amazonense.

Tabatinga não é o único município, até o momento, enfrentando a elevação dos rios no período de enchente.
“A situação está agravada na calha do Alto Juruá, compreendendo as cidades de Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamaraty e Envira. Em Apuí, o Rio Madeira atingiu a BR-230 ( Transamazônica) e interrompeu o fluxo da via”, pontuou.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.