Bumbás de Parintins na Aleam lutam por repasse para o Festival

Aleam, abriu espaço para os bumbas Caprichoso e Garantido

 

Aleam, abriu espaço para os bumbas Caprichoso e Garantido
Aleam, abriu espaço para os bumbas Caprichoso e Garantido

Na manhã dessa quarta-feira (24), os representantes dos  Bumbas Garantido e Caprichoso, acompanhados de suas respectivas torcidas, estiveram no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) pedindo o apoio dos deputados no sentido de ‘convencer’ o governo a liberar verba para a realização do 51º Festival Folclórico de Parintins. Os discursos foram realizados durante uma Cessão de Tempo concedida pelos deputados estaduais Bi Garcia (PSDB) e Bosco Saraiva (PSDB).

Em entrevista coletiva, na sexta-feira (20), o governador José Melo (Pros) anunciou corte de verbas para a área da cultura, em detrimento à saúde pública. A medida, conforme os representantes dos bois, atinge o Festival de Parintins e se estende as festas populares de Manacapuru (Festival de Cirandas), Maués (Guaraná), Itacoatiara (Fecani), Nova Olinda do Norte (Boi-bumbá), Autazes (Festa do Leite) e outros.

Membro do Movimento Marujada do Caprichoso, Lene Medeiros, defendeu que se encontre uma solução para o corte para eventos culturais. “O que governo investe no Festival de Parintins tem retorno, haja vista que a festa gera mais de R$ 100 milhões em serviços, que passam por locação de barcos, de avião, nos ingressos e alimentação”, mencionou, ressaltando que cada turista gasta, em média, R$ 200,00 por dia.

Evitar tragédia

Na avaliação do assessor de comunicação do Garantido, Mencius Melo, “é preciso evitar uma tragédia do ponto de vista econômico para o Estado”. Segundo ele, não realizar o Festival é desconstruir uma história construída ao longo de 50 anos. “É dar um recado ao mundo de que o Amazonas não respeita sua cultura e de ser um local de péssimo investimento para o turismo cultural”, concluiu.

Segundo informações, a tarde, os representantes  dos bumbas,  Caprichoso e Garntido mantiveram um encontro com o governador José Melo, que em função da crise, parece que não atendeu a solicitação.

Os representantes dos bumbas, deixaram a reunião e anunciaram que agora partirão para conquistar recursos na esfera federal, a fim de que o Festival Folclórico de Parintins,  a maior manifestação cultural do interior amazonense, que acontece sempre no final de Junho, não seja prejudicado.

Amaazoniana-Aleam

 

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.