Boa Vista: Empresa recebe R$9 milhões e serve refeição estragada

Boa Vista – Desde novembro do ano passado, a disputa por uma licitação milionária na Secretaria de Estado de Saúde (Sesau), para fornecimento de refeições às unidades hospitalares na Capital, rendeu vários capítulos de uma novela que durou mais de seis meses, quando finalmente a empresa Thayty Comércio Ltda, após vários embates judiciais, conseguiu ganhar o contrato, que chega a R$9 milhões por ano.

Contudo, no primeiro dia de fornecimento das refeições, anteontem, pacientes, acompanhantes e funcionários de hospitais da rede estadual denunciaram que o frango servido no almoço estava estragado, o que forçou a Tayty a recolher imediatamente milhares de marmitas na Capital. Com isso, a maioria teve que bancar o próprio almoço.

Trabalhadores terceirizados e pacientes internados no Hospital-Geral de Roraima (HGR) e na maternidade, por exemplo, passaram mal e tiveram até que tomar soro. Na tentativa de abafarem o caso, segundo fontes do HGR, todos foram instalados em um alojamento para receber a medicação. Na maternidade, após a constatação do problema, os acompanhantes só almoçaram arroz, farinha, feijão e salada. O frango estragado foi retirado da marmita.

A disputa pela milionária licitação foi acirrada entre o secretário da Sesau, Leocádio Vasconcelos, e o procurador do Ministério Público de Contas (MPC), Paulo Sérgio Oliveira. Leocádio chegou a se afastar do cargo, mas voltou ameaçando processar Paulo Sérgio, caso este não provasse tais crimes apontados no referido processo. Enquanto ambos travavam a queda de braço, a empresa Megafoods continuava fornecendo refeições, mesmo com o contrato vencido. O caso foi parar no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Ontem à tarde, em seu gabinete, o secretário Leocádio Vasconcelos relembrou o imbróglio dizendo que, na referida licitação, depois realizada por pregão eletrônico, a primeira colocada fora desclassificada por falta de documentos, por isso a Thayty, segunda colocada, ganhou o contrato.

“Então, como uma quarta empresa recorreu, tivemos que aguardar o pronunciamento da Justiça e do Ministério Público do Estado. Ambos decidiram pela legalidade do referido processo de licitação”, disse o secretário.

Leocádio Vasconcelos disse que a Thayty já foi contratada e agora irá fornecer refeições às unidades de saúde estaduais, na Capital, por um ano, e que este período pode ser prorrogado por mais um ano. “Pelos serviços, vai receber no máximo até R$ 9 milhões por ano”, frisou. O faturamento da empresa, mensalmente, vai variar de acordo com a quantidade de refeições fornecidas. “A média de fornecimento da Mega era de R$ 550 mil por mês”, ressaltou.

AMILCAR JÚNIOR – Folha BV 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.