Barreirinha tem jornada de cirurgias para correção de lábios leporinos

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) está promovendo até esta sexta-feira (2 de agosto) em Barreirinha (a 331 quilômetros de Manaus) uma jornada de cirurgia para reparação de lábio leporino. A ação é realizada, pelo segundo ano no município, em parceria com a Igreja Presbiteriana de Manaus.

O atendimento aos pacientes está sendo realizado no Hospital Coriolano Cidade Lindoso, da Susam. Além do hospital, o Governo do Estado forneceu os medicamentos, custeou o transporte da equipe médica e cedeu o anestesiologista para integrar a equipe de atendimento, informou o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim.

A equipe de saúde que está realizando o trabalho é liderada pelo cirurgião bucomaxilo Francisco Frota Aguiar, pertencente ao quadro da Susam, e conta ainda com o cirurgião plástico Nassif Ballura Neto e uma instrumentadoracirúgica, do Hosptial Samaritano de Campinas, que participaram da primeira jornada, além de um anestesista, também pertencente aos quadros da Susam.

A previsão é de que, até sexta-feira, sejam realizadas cerca de 40 procedimentos cirúrgicos. Até a quarta-feira (31) já tinham sido feitas 16 intervenções cirúrgicas, a maior parte delas em crianças com menos de dez anos, moradoras de Barreirinha e de cidades próximas como Parintins e Boa Vista do Ramos. Cinco crianças da etnia SateréMawé também foram operadas durante a jornada.

De acordo com o pastor Mário Sérgio Silva, um dos coordenadores da ação, a ideia surgiu após se verificar a existência de um grande número de pessoas portadoras de lábio leporino na região do Baixo Amazonas. “Ao verificarmos essa situação nós buscamos o Governo do Estado, por meio da Susam, e apresentamos a nossa proposta de parceria, para que pudéssemos realizar esse trabalho”.

Ele explicou que além das pessoas identificadas pela equipe da igreja, estão sendo atendidas pessoas que tomaram conhecimento do serviço por meio de agentes de saúde e da divulgação nas rádios da região.

O pequeno David Marques Freitas, de apenas cinco anos, foi um dos motivadores da ação, iniciada no ano passado. Operado há um ano pela mesma equipe, a criança, moradora da comunidade do Pindobal, em Barreirinha, retornou ao hospital para dar prosseguimento ao tratamento e realizar uma segunda cirurgia reparadora.

A mãe de David, a dona de casa Analice dos Santos Marques afirmou que houve uma grande mudança na qualidade de vida do menino após a cirurgia. “Hoje eu vejo que ele é um menino mais feliz. Antes ele era muito tímido, as crianças na escola não gostavam de brincar com ele e isso melhorou”.

A agricultora Luziete Carvalho de Souza aguardava os exames da filha Michele de seis anos para saber se ela poderia realizar a intervenção. De acordo com ela, o procedimento vai modificar não apenas a saúde da criança, mas a autoestima dela. “Eu, como mãe, sinto que ela já se incomoda com essa deficiência e gostaria de fazer isso por ela, para que, quando ela fique maior, não ache que nós não fizemos nada para melhorar”.

Raimundo Carvalho também teve sua vida transformada depois de adulto. Antes da operação, o jovem de 25 anos nunca havia tirado carteira de identidade por sentir vergonha da sua aparência, ele evitava, inclusive, sair de casa. “Hoje eu sou mais satisfeito com a pessoa que sou. Muito mais do que eu era antes da operar”, disse Raimundo que faz atualmente um curso na Capitania dos Portos.

O cirurgião bucomaxilo Joaquim Alves de Barros destacou a importância do tratamento nos primeiros anos de vida dos pacientes. “É um problema gravíssimo do ponto de vista estético e social e quando feito precocemente a aceitação da criança é muito grande. Quando o reparo vem na idade adulta é necessário o acompanhamento psicológico”.

Joaquim explicou, ainda, que as causas do lábio leporino, que consiste numa deformidade dos lábios e do palato, conhecido popularmente como céu da boca, estão ligadas a pré-disposição genética, mas também muito fortemente a ausência de vitaminas, em especial o ácido fólico, nos primeiros meses da gravidez.

O diretor do hospital, Francisco Frota, destacou a importância dessas ações e o apoio fornecido pelo governo estadual. Segundo ele, é difícil levar ao interior do Estado profissionais especialistas nesse tipo de deficiência e só uma parceria como esta poderia promover algo como o que está sendo feito.
O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Susam) está promovendo até esta sexta-feira (2 de agosto) em Barreirinha (a 331 quilômetros de Manaus) uma jornada de cirurgia para reparação de lábio leporino. A ação é realizada, pelo segundo ano no município, em parceria com a Igreja Presbiteriana de Manaus.

O atendimento aos pacientes está sendo realizado no Hospital Coriolano Cidade Lindoso, da Susam. Além do hospital, o Governo do Estado forneceu os medicamentos, custeou o transporte da equipe médica e cedeu o anestesiologista para integrar a equipe de atendimento, informou o secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim.

A equipe de saúde que está realizando o trabalho é liderada pelo cirurgião bucomaxilo Francisco Frota Aguiar, pertencente ao quadro da Susam, e conta ainda com o cirurgião plástico Nassif Ballura Neto e uma instrumentadoracirúgica, do Hosptial Samaritano de Campinas, que participaram da primeira jornada, além de um anestesista, também pertencente aos quadros da Susam.

A previsão é de que, até sexta-feira, sejam realizadas cerca de 40 procedimentos cirúrgicos. Até a quarta-feira (31) já tinham sido feitas 16 intervenções cirúrgicas, a maior parte delas em crianças com menos de dez anos, moradoras de Barreirinha e de cidades próximas como Parintins e Boa Vista do Ramos. Cinco crianças da etnia SateréMawé também foram operadas durante a jornada.

De acordo com o pastor Mário Sérgio Silva, um dos coordenadores da ação, a ideia surgiu após se verificar a existência de um grande número de pessoas portadoras de lábio leporino na região do Baixo Amazonas. “Ao verificarmos essa situação nós buscamos o Governo do Estado, por meio da Susam, e apresentamos a nossa proposta de parceria, para que pudéssemos realizar esse trabalho”.

Ele explicou que além das pessoas identificadas pela equipe da igreja, estão sendo atendidas pessoas que tomaram conhecimento do serviço por meio de agentes de saúde e da divulgação nas rádios da região.

O pequeno David Marques Freitas, de apenas cinco anos, foi um dos motivadores da ação, iniciada no ano passado. Operado há um ano pela mesma equipe, a criança, moradora da comunidade do Pindobal, em Barreirinha, retornou ao hospital para dar prosseguimento ao tratamento e realizar uma segunda cirurgia reparadora.

A mãe de David, a dona de casa Analice dos Santos Marques afirmou que houve uma grande mudança na qualidade de vida do menino após a cirurgia. “Hoje eu vejo que ele é um menino mais feliz. Antes ele era muito tímido, as crianças na escola não gostavam de brincar com ele e isso melhorou”.

A agricultora Luziete Carvalho de Souza aguardava os exames da filha Michele de seis anos para saber se ela poderia realizar a intervenção. De acordo com ela, o procedimento vai modificar não apenas a saúde da criança, mas a autoestima dela. “Eu, como mãe, sinto que ela já se incomoda com essa deficiência e gostaria de fazer isso por ela, para que, quando ela fique maior, não ache que nós não fizemos nada para melhorar”.

Raimundo Carvalho também teve sua vida transformada depois de adulto. Antes da operação, o jovem de 25 anos nunca havia tirado carteira de identidade por sentir vergonha da sua aparência, ele evitava, inclusive, sair de casa. “Hoje eu sou mais satisfeito com a pessoa que sou. Muito mais do que eu era antes da operar”, disse Raimundo que faz atualmente um curso na Capitania dos Portos.

O cirurgião bucomaxilo Joaquim Alves de Barros destacou a importância do tratamento nos primeiros anos de vida dos pacientes. “É um problema gravíssimo do ponto de vista estético e social e quando feito precocemente a aceitação da criança é muito grande. Quando o reparo vem na idade adulta é necessário o acompanhamento psicológico”.

Joaquim explicou, ainda, que as causas do lábio leporino, que consiste numa deformidade dos lábios e do palato, conhecido popularmente como céu da boca, estão ligadas a pré-disposição genética, mas também muito fortemente a ausência de vitaminas, em especial o ácido fólico, nos primeiros meses da gravidez.

O diretor do hospital, Francisco Frota, destacou a importância dessas ações e o apoio fornecido pelo governo estadual. Segundo ele, é difícil levar ao interior do Estado profissionais especialistas nesse tipo de deficiência e só uma parceria como esta poderia promover algo como o que está sendo feito.

(Fonte: Agecom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.