Arthur testemunha o surgimento das primeiras pedras históricas na revitalização da Eduardo Ribeiro

O prefeito Artur Neto, acompanha o início das oras na Av. Eduardo Ribeiro
O prefeito Artur Neto, acompanha o início das oras na Av. Eduardo Ribeiro
O prefeito Artur Neto, acompanha o início das oras na Av. Eduardo Ribeiro

Manaus – Em menos de 24h do início dos trabalhos de requalificação da avenida Eduardo Ribeiro, no Centro, as primeiras pedras históricas já começam a surgir. As equipes de escavações encontraram granitos de origem europeia que compunham a avenida no século XIX.

Nesta terça-feira, 6, o prefeito Arthur Virgílio Neto acompanhou os primeiros achados do projeto, que visa devolver a Eduardo Ribeiro o charme do período áureo da borracha no Amazonas. “E tenho a honra de poder ter nas mãos um pedaço da Manaus do século XIX. Essa é uma das obras mais significativas do nosso governo, seja do ponto de vista econômico, turístico ou emocional do povo manauara”, disse o prefeito.

Nesse primeiro momento, as obras de escavação se concentram no trecho entre as ruas Monsenhor Coutinho e 24 de Maio. Nessa área, o trânsito na Eduardo Ribeiro ficará interrompido até o fim dos trabalhos. Todo o projeto está sendo desenvolvido com a aprovação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e em parceria com os comerciantes e demais trabalhadores que atuam nessa parte do Centro.

O prefeito vê o ressurgimento  das pedras  históricas na principal avenida da capital
O prefeito vê o ressurgimento das pedras históricas na principal avenida da capital

“A ideia é sempre de minimizar o impacto para a atividade comercial e para própria Feira da Eduardo Ribeiro, que acontece todos os domingo. Nesse etapa do projeto a feira continua funcionando normalmente até o dia 31 de janeiro de 2016. A partir daí, quando se iniciar o segundo trecho da obra, a feira será transferida para o entorno da galeria Espírito Santo, que será muito bom para a feira e para os microempresários do espaço”, explicou o diretor-presidente do Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), Roberto Moita.

As obras deverão durar 90 dias
As obras deverão durar 90 dias

Além das prospecções no pavimento, a prefeitura também busca por pedras antigas nas calçadas. Esse serviço tem sido realizado à noite para não comprometer o acesso dos pedestres.

A expectativa agora é encontrar também os trilhos do antigo bondinho, que serão colocados a mostra, sem comprometer a passagens dos veículos. “Manaus viverá um novo apogeu, a partir do resgate do seu Centro Histórico, com o fortalecimento turístico da Região”, finalizou o prefeito Arthur Neto.

Amazonianarede-Semcom

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.