Artesanatos regional e indígena ganham espaço durante o festival

Parintins, AM – O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria Estadual de Trabalho (Setrab), vai ampliar as oportunidades de comercialização dos produtos de 80 artesãos amazonenses que participam da 11ª edição da Mostra de Artesanato em Parintins (a 369 km de Manaus).

A feira, que disponibiliza diversos produtos regionais em uma área de 850 metros quadrados, está sendo realizada ao lado da Catedral de Nossa Senhora do Carmo e vai até o dia 30 de junho.

Os expositores vão fazer parte de um programa de qualificação profissional que irá disponibilizar cursos profissionalizantes oferecidos pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Os artesãos também vão receber a Carteira do Artesão, que concede isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), onde os beneficiados comercializarem os materiais em âmbito nacional e internacional.

Conforme a Setrab, essas oportunidades irão beneficiar também 20 artesãos que participam pela primeira vez da feira em Parintins. A expectativa é, que nesses dias do Festival Folclórico, ocorra um alto volume vendas, devido à expectativa de visitantes neste ano, que é de 70 mil turistas. “Temos a expecativa de gerar mais negócios tanto com vendas diretas na feira quanto por encomendas que os artesãos vão fazer para outros lugares do Brasil”, comentou secretária da Setrab, Francinete Lima.

Oportunidades – A artesã parintinense Rosicleia Lima, 51, levou para tenda diversos cocares, um dos adornos utilizados pelos brincantes dos bumbás Garantido e Caprichoso durante a programação do Festival. Rosicleia participa pela primeira vez da exposição e disse estar feliz pelos benefícios que vão acontecer junto ao seu trabalho.

“Agradeço muito pela oportunidade que recebi, pois vou conseguir uma renda extra para minha família. E todos que passarem por aqui vão poder levar um cocar da cor do seu boi preferido”, destacou a artesã.

Participação de indígenas – Há 20 anos comercializando produtos medicinais, o artesão Eudes Batista, 40, disse que a feira é importante para tornar conhecidas as produções feitas na comunidade Sateré-Mawé, que reúne 300 famílias dos municípios Barreirinha, Maués e Parintins.

“Uma feira com essa é importante para as pessoas conhecerem os nossos produtos que fazemos na comunidade. Eu trouxe diversos produtos medicinais, como o guaraná em sementes e em pó para os turistas conhecerem”, contou.

(Agecom) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.