Áreas vermelhas mapeadas darão maiores condições ao combate ao crime

Secretário Sergio Fintes, fala de Segurança Pública no Estado
Secretário Sergio Fintes, fala de Segurança Pública no Estado
Secretário Sergio Fintes, fala de Segurança Pública no Estado

Amazonas – Áreas A Secretaria de Segurança do Amazonas, combater o narcotráfico e outros crimes, de maneira mais ordenada e determinada, mas para isso a SSP-AM, continua buscando novos caminhos em busca de resultados mais positivos, para oferecer mais tranquilidade e segurança as populações da capital o do interior amazonense.

Para o secretário Sergio Fintes, crise econômica e o tráfico de drogas são algumas das explicações para os problemas da segurança pública, no Estado. Pelo menos foi assim que procurou justificar, nesta quarta-feira (2), em entrevista à Rede Tiradentes, o secretário da Segurança Pública do Amazonas, delegado federal Sérgio Fontes.

“Nós temos uma crise econômico financeira que potencializa a criminalidade, e isso é fato: mais pessoas desempregadas, menos riqueza circulando. Mas nós temos um combate incessante ao narcotráfico – estamos com mais de 5 toneladas de drogas apreendidas este ano, só no sistema estadual, sem contar a Polícia Federal (PF) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Isso é um recorde histórico! Ano passado, foram 2,1 toneladas. Já estamos com mais de 5 toneladas.”

Dificuldades

O secretário admite dificuldades no combate ao narcotráfico, mas está otimista com o trabalho que vem sendo desenvolvido pelas polícias, com a participação ativa da população, que vem denunciando a atividade ilícita, nas chamadas áreas vermelhas, em Manaus e no Interior.

“Algumas notícias, de fato, não são boas! Nós estamos procurando mudar uma realidade que já vem de muito tempo. Temos um problema geográfico grave: somos vizinhos dos maiores produtores de cocaína do mundo. Agora estão plantando maconha hidropônica, que está com um valor muto alto, então por isso nós estamos apreendendo muito; somos vizinhos do segundo maior produtor de cocaína do mundo, que agora resolveu plantar folhas de coca na selva, bem na fronteira do Vale do Javari.

Tem mais de 10 mil hectares de coca plantados. Toda essa coca, toda essa produção é para o Brasil. Eles não chegam nem ao cloridrato de cocaína, que é a última fase. Na pasta base, eles já internam no território brasileiro, porque só o povo brasileiro e alguns países da America Latina consomem pasta básica. Esse problemas são graves e eu tenho os números que comprovam isso!”

O X do problema

Para o secretário, pelo menos 70% dos problemas de segurança são decorrentes do tráfico de drogas. “Qual é o maior problemas que nós temos por isso? Os homicídios! Nós tivemos 641 homicídios, este ano. Desses, 382 estão diretamente ligados ao narcotráfico. 60% desses homicídios. Dos 242 que não estão ligados diretamente, em torno de 25% a 30% tem ligação indireta com o narcotráfico!”

Sérgio Fontes mostrou que a polícia acompanha o avanço do tráfico de drogas e apresentou um mapeamento das chamadas bocas de fumo, na capital. Segundo o secretário, o trabalho permitirá ao aparelho de segurança um cerco ao tráfico de drogas na capital e no Interior do Estado.

O secretário Sérgio Fontes acaba de chegar de uma viagem aos Estados Unidos, inteiramente custeada pelo governo norte americano, onde conheceu o trabalho da polícia americana no combate aos crimes de fronteira, principalmente o narcotráfico, experiência e conhecimentos que, segundo ele, serão colocados em prática no combate ao tráfico no Amazonas.

Amazonianarede/RT

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.