Amazonense fatura prata no tênis de mesa em Toronto

A tenista de mesa, a amazonense Lígia Silva, traz a prata de Toronto
A tenista de mesa, a amazonense Lígia Silva, traz a prata de Toronto
A tenista de mesa, a amazonense Lígia Silva, traz a prata de Toronto

Toronto, Amazonas – Em sua quinta disputa consecutiva de Jogos Pan-Americanos, a amazonense Lígia Silva já conquistou medalha em Toronto. A veterana de 34 anos ganhou a prata por equipes no tênis de mesa. Após cinco vitórias consecutivas, a seleção brasileira foi derrotada pelos Estados Unidos na final. Além da amazonense, Caroline Kumahara e Lin Gui também representaram a seleção brasileira.

A estreia de Lígia no Pan de Toronto foi no último domingo (19). No duelo do Brasil contra o Peru, a amazonense atuou no jogo de duplas com Lin Gui. Elas venceram Janina Nieto/Gabriela Soto por 3 games a 0. No mesmo dia, Lígia foi decisiva na vitória sobre Cuba. Com facilidade, ela venceu Idalys Lovet por 3 games a 1. Em seguida, no jogo de duplas, Lígia e Kumahara derrotaram Lisi Castillo/Leisy Jiménez por 3 games a 2, carimbando a vitória do Brasil no duelo por 3 a 0.

Nas quartas de final, a seleção feminina enfrentou a Colômbia. Lígia só atuou no jogo de duplas, ao lado de Lin Gui. Elas derrotaram a dupla Angie Umbacia/Lady Ruano por 3 games a 0 e sacramentaram mais um confronto tranquilo para o Brasil.

A seleção brasileira enfrentou Porto Rico na semifinal. Lígia novamente só atuou no jogo de duplas, onde fez parceria com Lin Gui e venceu a dupla Carelyn Cordero/Melanie Diaz por 3 games a 0. O Brasil venceu o confronto por 3 a 1.

Na final, o Brasil enfrentou a forte equipe dos Estados Unidos. Entre todas as jogadoras envolvidas no confronto, Lígia era a única sem ascendência asiática. Mais uma vez escalada para o jogo de duplas, ela fez parceria com Lin Gui no duelo contra Yue Wu/Jiaqi Zheng. O Brasil já perdia o confronto por 2 a 0, fazendo com que apenas uma vitória nas duplas mantivesse as chances de ouro do Brasil. No entanto, Lígia e Gui perderam por 3 games a 0 e o Brasil ficou com a prata.

16 anos depois…

Esta é a segunda medalha pan-americana da carreira de Lígia Silva. A primeira foi no Pan de Winnipeg, em 1999. Com apenas 18 anos de idade, a amazonense ajudou o Brasil a ganhar o bronze.

A seleção feminina de tênis de mesa ganhou sua terceira medalha no Pan em toda a história – a segunda com Lígia Silva. A amazônida não escondeu a emoção com a conquista. “Na minha primeira medalha, eu era uma menina de 18 anos que não tinha a noção da grandeza que um Pan representa. Esse é meu quinto Pan, minha segunda medalha, agora de prata. Já vim aqui com a missão de conquistá-la. Hoje, sei o que significa”, disse Lígia ao site do COB.

Lígia Silva ainda briga por medalha em Toronto no individual. Foto: Reprodução/CBTM

Com uma carreira de mais de duas décadas no tênis de mesa, Lígia precisou deixar sua cidade natal para construir uma trajetória de sucesso. Aos 17 anos, a amazonense saiu de Manaus para treinar e morar em Santos (SP), local onde vive até hoje. “Cada um corre atrás dos seus sonhos. Eu não queria ser só mais uma quando saí de Manaus”, contou a mesatenista, antes do Pan de Toronto.

Lígia é a terceira amazonense a medalhar em Toronto. As outras foram Lucianne Barroncas (bronze no polo aquático) e Daynara de Paula (bronze na natação nos 4x100m medley e nos 4x100m livre). Além do Amazonas, atletas de Mato Grosso também já medalharam no Pan. O Estado soma três ouros (David Moura, Ana Sátila e Felipe Lima), duas pratas (Ana Sátila e Felipe Lima) e um bronze (Leandro Aparecido da Silva).

Mas Lígia segue em Toronto em busca de mais uma medalha no Pan. A amazonense agora compete no individual, onde já estreou com vitória sobre a cubana Idalys Lovet por 4 games a 1 nesta quarta-feira (22). A primeira fase do torneio encerra na sexta-feira (24).

Amazonianarede-Portal Amazonia

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.