Acabou a farra: Falso médico peruano que oferecia cura para câncer em Manaus está preso

Polícia afirma que há sete boletins de ocorrência por crime de estelionato contra ele. Preso, peruano negou as acusações.

Manaus, AM – Acabou a farra do falsário. A polícia prendeu, na manhã de terça-feira (19), o peruano Luis Fernando Ruiz Lozano, de 63 anos, denunciado por assumir falsa identidade de médico e por extorquir uma pessoa em tratamento contra câncer.

O suspeito foi preso na residência onde morava na Zona Leste de Manaus. O falso médico foi apresentado à imprensa durante coletiva no prédio da Delegacia Geral, nesta quarta-feira (20). A polícia diz que há sete boletins de ocorrência por crime de estelionato contra ele. O peruano negou as acusações.

“Nunca prometi a cura do câncer. Nunca vendi medicamentos. Nunca fiz estelionato. Eu sou médico no Peru. No Brasil eu não tratava ninguém. Passava 15 dias no Brasil e voltava para o Peru. Nunca trabalhei no Brasil”, afirmou o suspeito.

De acordo com o diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), delegado Guilherme Torres, no momento da prisão foram encontrados, no imóvel dele, vários objetos que comprovam a prática de medicina de forma ilegal.

Dentre os objetos apreendidos, a polícia encontrou um certificado de Medicina do Peru, no entanto, a polícia não constatou a validade do documento. No Brasil, ele não tem registro no Conselho Regional de Medicina.

Segundo informações da polícia, um homem de 64 anos veio a Manaus para acompanhar a esposa dele, que iniciou tratamento de câncer em um hospital na capital.

No dia 25 de dezembro de 2016, o marido da vítima procurou Lozano para iniciar um tratamento alternativo da neoplasia.

Na ocasião, segundo a vítima, o infrator afirmou que era especialista em câncer e que já havia trabalhado em alguns hospitais da capital, mas que para iniciar o tratamento, a vítima teria que desembolsar R$ 1,3 mil para a compra de um medicamento.

Nos dias posteriores, Lozano solicitou mais de R$ 520,00 para custear gasolina, crédito de aparelho celular e outros benefícios para os trâmites do suposto benefício.

Segundo a polícia, ele oferecia falso tratamento às vítimas. “Verificamos que esse cidadão possuía 7 boletins de ocorrência por crime de estelionato. Verificamos que ele foi preso em 2013 pela mesma situação que a vítima relatou para gente.

Ele utilizava da esperança da pessoa e vendia a cura do câncer. Dizia que teria um remédio que iria curar é que conseguiria um benefício mensal por parte do Estado ou do Governo da União e que precisava do dinheiro adiantado para que esse benefício pudesse sair”, informou o delegado.

O falso médico será indiciado por estelionato e encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Amazonianarede-Rede Amazonica

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.