Vigilância Sanitária interdita cantina na UEA

Verme no molha na cantina da UEA
Verme no molha na cantina da UEA
Verme no molha na cantina da UEA

Manaus, AM – Após receber denúncias de várias irregularidades, a Vigilância Sanitária do município, interditou uma lanchonete localizada na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).A inspeção ocorreu após uma universitária denunciar que havia encontrado larvas em um molho de pimenta. A empresa responsável pela administração da cantina foi autuada e o valor da multa pode chegar a R$ 60 mil.

Entre as irregularidades apontadas estão o acondicionamento e organização inadequados de alimentos, falhas na estrutura do estabelecimento que colocavam em risco à saúde dos consumidores e até refrigerantes com data de validade vencida.

Dentro da cozinha, a fiscalização identificou ainda um buraco que dá acesso a um esgoto, com “acesso livre às pragas e insetos”, segundo o fiscal da gerência de produtos da Visa Manaus, Fábio Markendof.

Mais de 15 quilos de alimentos como salgados, sanduíches, polpa de frutas – entre elas tucumã sem selo de origem –, refeições prontas e frios foram apreendidos e descartados no local após a indicação de temperatura imprópria para armazenamento, além de aparência inadequada e odores.

De acordo com o gerente de produtos da Visa Manaus, Fernando Branco, a empresa não possui licença sanitária, documento indispensável para estabelecimentos que vendem alimentos ou prestam serviços de saúde, emitido pelo departamento de fiscalização.

A ação observou as legislações municipais 392/1997, 3910/1997 e a portaria 216 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). As punições imediatas no caso foram a interdição, inutilização dos produtos irregulares e uma multa que pode variar até 400 Unidades Fiscal do Município (UFM), ou seja, até R$ 60 mil.

A Visa Manaus informou que a empresa responsável tem prazo de três dias úteis para providenciar a defesa, mas o local somente reabrirá aos estudantes quando o risco sanitário e as pendências forem sanados.

Vermes na pimenta A fiscalização e interdição da lanchonete ocorreram após denúncia da estudante Iris Brasil, de 18 anos, aluna do curso de Teatro. Segundo ela, havia vermes em um frasco de pimenta.

“Comprei um salgado, coloquei a pimenta sem perceber nada, comi e fui embora. Depois de um tempo, comecei a receber ligações dos meus amigos, desesperados, falando que eu tinha que tomar remédio porque o frasco tinha muito verme. Fiquei nervosa e vomitei”, relatou. O caso ocorreu na quarta-feira (19).

Iris voltou a cantina e os amigos dela fizeram um vídeo do frasco, que mostra os vermes no molho. Em seguida, relatou o ocorrido à responsável pela cantina, que não teria dado a atenção devida. “Eu disse: ‘moça, isso poderia dar um problema grave’, e ela respondeu: ‘vocês é quem comem aqui’. Ela fez pouco caso”, contou. Depois os  funcionários da cantina teriam recolhido todos os frascos de pimenta, segundo a universitária.

A estudante disse que comunicou o caso à coordenação do curso de Teatro, que se prontificou a adotar prividências. Também formalizou denúncia à Vigilância Sanitária. Na inspeção, os fiscais não encontraram frascos de pimenta.

Licitação

Em nota, a Universidade do Estado do Amazonas informou que uma nova licitação será feita para substituir a empresa responsável pelo fornecimento de lanches na cantina localizada na Escola Superior de Artes e Turismo (Esat), na capital amazonense.

“A Gestão Superior da UEA ratifica o compromisso e a preocupação com o bem-estar dos estudantes e garante que todas as providências que se fizerem necessárias serão tomadas. Por fim, acrescentamos que a atual prestadora foi formalmente notificada pela UEA para prestar os devidos esclarecimentos nas formas da Lei”, diz a nota.

Amazonianarede-Amazo0niaTv

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.