Travesti parintinense era mantido em cárcere privado em S. Paulo

Amazonianarede/Tadeu de Souza

Parintins, AM – Bruno Amaral do Carmo, 27, travesti, conheceu um outro travesti no período do Festival Folclórico que o levou a São Paulo para um implante de silicone.

Na verdade, era uma armadilha. Lá chegando, o travesti descobriu que havia caído em mãos de uma quadrilha que faz tráfico humano.

Teve os documentos apreendidos e foi levado a uma casa de onde só saia à noite para se prostituir. “Eu tinha que sair às 19h para trabalhar e só retornava na manhã seguinte e numa dessas noites, com ajuda de uma amiga, eu fugi para o aeroporto de Cumbica de onde liguei para o presidente da Associação de Gays de Parintins, que está me ajudando”, disse.

Proteção a testemunha

O presidente da Associação de Gays, Lésbicas e Travestis de Parintins, Fernando Morais (foto) 32, confirmou que o travesti Bruno Amaral do Carmo, 27, vítima de uma rede de tráfico humano que vem agindo aqui no norte, já está em poder das autoridades de São Paulo para onde foi levado com a promessa de ganhar uma operação para implante de silicone.

“Ontem no princípio da tarde recebi uma ligação da Secretaria de Justiça do Amazonas me informando que o Bruno já foi ouvido pelas autoridades policiais de São Paulo e incluso no programa de proteção a testemunhas para que ele possa fornecer mais informações sobre essa quadrilha que o levou para o sul”, disse Morais.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.