Transatlânticos poderão ajudar a rede hoteleira de Manaus durante a Copa

Manaus – A cidade de Manaus, segundo estimativas, deverá receber entre 50 e 60 mil visitantes durante a Copa do Mundo.

O fato vem preocupando considerando que a capacidade hoteleira da cidade disponível hoje, não será suficiente para hospedar todos esses turistas torcedores e uma das soluções, será a utilização dos vários transatlânticos que deverão aportar no Porto de Manaus para ajudar a rede hoteleira nesse processo de hospedaria e alguns entendimentos já estariam, sendo feitos nesse sentido com as companhias que aportarão seus navios na cidade.

É certo que até a chegada de junho do ano que vem alguns hotéis de médio porte ainda serão inaugurados e isso ajudará a tornar o problema em menos escala e com soluções mais viáveis.

Apesar dos números da rede hoteleira, os empresários do setor garantem que a cidade não sofrerá nenhum problema no que diz respeito à hotelaria para o torcedor-turista da Copa em Manaus.

Menos investimentos

Das 12 capitais brasileiras que sediarão os jogos da Copa do Mundo em 2014 é que menos está investindo na construção de hotéis, mas mesmo assim terá a sua capacidade hoteleira aumentando e terá plenas condições de atender os turistas internos e externos que visitarão a capital amazonense durante a realização dos jogos.

Levantamento feito pelo Ministério do Turismo garantem que Manaus terá pelo menos mais seis novos e modernos hotéis até o início de 2014 o que representará quase l.500 novos apartamentos, distribuídos em hotéis, pousadas e albergues.

O levantamento foi realizado pelo Ministério do Turismo (Mtur) e aponta também que, entre as 12 cidades-sede, Manaus é uma das que menos vai receber empreendimentos hoteleiros.

A expectativa da própria rede hoteleira era maior e alguns empreendimentos desistiram de implantar unidades em Manaus, destaca o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Amazonas (ABIH), Roberto Bulbol.

Um dos empreendimentos seria construído nas proximidades do Distrito Industrial. A explicação é a dúvida de como os novos hotéis, flats e outros meios hoteleiros serão utilizados após a Copa de 2014. “A preocupação é o pós-Copa. O que faremos depois com todos esses hotéis?”, salientou Bulbol.

Hoje, a ocupação hoteleira em Manaus varia de 46% a 51%, de acordo com a ABIH. A cidade tem 101 empreendimentos e 11.058 leitos, segundo a (Amazonastur).

A FIFA exige 13.020 leitos. Cada cidade-sede deve ter número de leitos equivalente a 30% dos assentos do estádio onde vão ocorrer os jogos. A arena terá capacidade para 44 mil torcedores.

Apoio

Como existem hotéis e pousadas razoáveis em municípios próximos a Manaus e dentro da Região Metropolitana, como Iranduba, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Rio Preto da Eva, poderão apresentar um grande suporte no setor de hotelaria para os turistas, considerando que as cidades são próximas e todas interligadas a capital por rodovias.

No município de Iranduba, existe ainda a particularidade de existir um grande numero de hotéis e pousadas de selva, acostumados a receber turistas internacionais e poderão ser muito bem vistos e frequentados durante a Copa do Mundo de 2014, que começará em junho com jogos em Manaus na Arena da Amazônia, em construção com inauguração prometida para dezembro deste ano.

Alternativas

Quem reside próximo a Arena da Amazônia, nos conjuntos D. Pedro, Kissia, Deborah, Tocantins, Jornalistas e Ajuricaba, muitos estão dispostos a se acomodarem um mês nas residências de parentes e abrir mão do imóvel para ganhar um dinheiro extra alugando durante o evento.

Devido ao fato, os empresários da hotelaria em Manaus aconselham aos futuros visitantes da capital amazonense para os jogos da Copa em Junho-julho de 2014 que façam suas reservas com antecedência e aí, viagem com tranquildiade para o grande evento esportivo internacional que acont3cerá no Brasil e também nesta parte da Amazônia.

Pós Copa

Os empresários do setor esperaram que Manaus e o Amazonas sem bem divulgados durante a Copa do Mundo e com isso, a freqüência de turistas aumente consideravelmente e ocupem os hotéis, que no momento muitos estão com acomodações desocupadas, considerando que o fluxo turístico no momento não é dos melhores.

Como se trata de Amazonas e Amazônia, com muitas belezas naturais, com muita água, floresta, o que deixa a região com uma natureza exuberante, a expectativa é que após a Copa o fluxo turístico para Manaus cresça consideravelmente e a cidade e o estado possam começar a viver um novo momento turístico, gerando mais emprego, fortalecendo o setor e a economia do Estado.

Os empresários entendem também, que a capacidade hoteleira de Manaus será suficiente para atender a demanda da Copa do Mundo e não deverá haver problemas com acomodações.

Outro ponto que os empresários garantem é um bom atendimento, com a prestação de serviços de primeira para os hospedes e para isso começam a investir na preparação de pessoal, através de cursos direcionados ao setor de hotelaria, para que no decorrer da Copa e pós-Copa, a rede continue a funcionar bem e com muita qualidade nos serviços e atendimento aos visitantes.

(Amazonianarede – Redação) 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.