Saxofonista cubano foi surpresa na abertura do 8° Festival Amazonas de Jazz, em Manacapuru

A participação surpresa de uma das principais atrações internacionais do 8º Festival Amazonas de Jazz, o saxofonista cubano Felipe Lamoglia, foi o charme especial na abertura do evento para o público do Município de Manacapuru (a 68 km de Manaus).

O Festival é uma promoção do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura, e teve início na noite do último sábado, dia 20. O artista apresentou alguns dos solos de saxofone que o consagraram no cenário da música internacional. Isso com a participação dos músicos amazonenses da Amazonas Band, regida pelo maestro Rui Carvalho.

“Esta é minha primeira visita ao município e quando eu soube do festival, através do maestro Rui, eu fiz questão de participar. Fico muito feliz em ver uma iniciativa como esta de levar o jazz para toda a população, mesmo a de cidades mais afastadas”, disse Lamoglia.

O músico cubano é hoje radicado nos Estados Unidos e, em vários períodos no ano, na Europa. Famoso na cena jazzística, tem inúmeras parcerias que tocam junto ao seu quarteto que interpretam standards de jazz de Miles Davis e Charlie Parker a temas de Bossa Nova de Tom Jobim e João Donato.

Felipe Lamoglia é ainda um vencedor do Grammy, compositor e arrajandor. Começou os estudos de saxofonista com 9 anos de idade, na cidade de Holguim/Cuba e também estudava no prestigiado Instituto Superior de Artes (ISA), em Havana.

Sua grande oportunidade profissional ocorreu aos 18 anos, sendo contratado para tocar com NG La Banda, uma das maiores orquestras cubanas.

Em 1992, veio para São Paulo, para um programa de intercâmbio cultural com a Universidade de São Paulo. Fixou residência também no Brasil durante 7 anos. Aqui aproveitou a riqueza musical e espiritual do povo. Aprendeu com grandes artistas como Raul de Souza, Arismar do Espírito Santos, Sizão Machado, entre tantos outros. Para Felipe Lamoglia, o Brasil é o melhor país do mundo. “Tive o privilégio de morar no Brasil e é sempre uma honra tocar com o maestro Rui Carvalho”.

Esse clima foi todo repassado à “Princesinha do Solimões”. Em plena terra da ciranda, no palco do galpão da Ciranda Flor Matizada, a plateia vibrou com o espetáculo.

A apresentação da Amazonas Band foi outro espetáculo à parte. Ovacionada de aplausos pelo público, a banda interpretou grandes sucessos de seu repertório, que estarão presentes nos próximos dias de festival, além de clássicos do músico Vinícius de Morais, o grande homenageado deste ano do Festival.

“Já fizemos diversas apresentações em diversos municípios do interior do Estado, porém sempre levamos algo novo e diferente para o público, o que não é diferente aqui em Manacapuru”, afirmou o maestro da Amazonas Band, Rui Carvalho, que foi aplaudido de pé por sua performance no palco.

O estudante Marcello Azevedo elogiou a iniciativa da secretaria. “Acho que é assim que o amazonas vai conseguir formar público para os diferentes segmentos da cultura”, afirmou.

Programação acadêmica – Além do espetáculo musical apresentado para a população de Manacapuru, a Secretaria de Estado da Cultura também realizou três workshops – Sessão Rítmica (bateria, teclado e baixo), bocais (trompete, sax e trombone) e Palhetas e Flautas – com os músicos da Amazonas Band. As oficinas foram realizadas por membros da Amazonas Band na Escola Municipal Jamil Seffair para o público de Manacapuru.

“Essa foi uma ótima experiência para quem gosta de música aqui em Manacapuru, mas não tem muito acesso aos instrutores e professores da área”, disse o estudante Luan Guimaraes, que participou de uma das oficinas.

O 8º Festival Amazonas Jazz segue até o dia 2 de agosto, com programação durante toda a semana em Manaus. A próxima atração, já em Manaus, será dia 23, no Teatro Amazonas, justamente com espetáculo de Felipe Lamoglia ao lado da Amazonas Band, às 19h, e a “lenda” Bennie Maupin, multi-instrumentista norte-americano, que subirá ao palco às 20h30.

Ingressos – Os ingressos para o 8º Festival Amazonas de Jazz estão à venda pelo site www.bestseat.com  e na bilheteria do Teatro Amazonas. É importante ressaltar que, de forma inédita e ainda limitada, há ingressos sustentáveis do 8º FAJ, que podem ser comprados on line e apresentados apenas pelo celular, sem gasto de papel. É a primeira experiência da Secretaria de Estado da Cultura nesse sentido.

Todos os espetáculos tem espaço assegurado para portadores de deficiência física, usuários de cadeira de rodas e também audiodescrição e apresentação dos eventos em libras no Teatro Amazonas. E no dia 28 de julho, quando sobem ao palco do TA, às 19h, a Orquestra de Beiradão do Amazonas, e às 20h30, Vinícius Cantuária, a entrada será um livro doado ao projeto “Mania de Ler”. O público vai até a bilheteria e troca o livro por um ingresso com lugar marcado.

No mais, os ingressos custam R$ 40 (inteira) no primeiro pavimento/plateia (R$ 20 meia para estudante e Melhor Idade); R$ 30 no segundo pavimento (R$ 15 meia estudante e Melhor Idade) e R$ 10 no terceiro pavimento (R$ 5 meia estudante e Melhor idade).

Para mais informações sobre os eventos, horários, ingressos e demais projetos e ações da secretaria acesse facebook.com/culturadoamazonas 

(Agecom)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.