Romário consegue assinaturas para instaurar CPI da CBF

Após prisão de Marin, Romário faz pronunciamento no Senado
Após prisão de Marin, Romário faz pronunciamento no Senado
Após prisão de Marin, Romário faz pronunciamento no Senado

O senador Romário conseguiu nesta quarta-feira 40 assinaturas para tentar instaurar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar as denúncias de corrupção na CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

“A CPI da CBF tem a intenção de investigar a CBF e o COL da Copa 2014. Vamos investigar os contratos irregulares para a realização de partidas da seleção brasileira e outros campeonatos. Não podemos mais esperar para instalar a CPI. Este é o momento e temos chances de ter colaboração de outros países”, escreveu o senador, em sua conta no Twitter.

Como Romário precisava apenas de 27 assinaturas, depende agora apenas da aprovação do presidente do Senado, Renan Calheiros, para dar início à Comissão.

O pedido de CPI foi motivado pela operação conjunta do FBI e da polícia suíça que prendeu sete dirigentes em Zurique, nesta quarta-feira, por acusações de corrupção, propina e enriquecimento ilícito por meio do futebol. Entre os detidos, destaque para José Maria Marin, ex-presidente da CBF.

Mais cedo, Romário havia parabenizado o FBI pela operação e pedido que Marco Polo Del Nero, atual mandatário da entidade máxima do futebol brasileiro, deixasse o cargo.

“Muitos corruptos e ladrões foram presos na Suíça, inclusive um dos maiores: José Maria Marin. Quero parabenizar o FBI. Essa prisão é o início de um grande futuro para o futebol”, discursou.

“Espero que a investigação que repercuta definitivamente limpar o futebol desses corruptos, como Marco Polo Del Nero. A situação do futebol brasileiro é culpa dessas pessoas, que não estão nem um pouco interessadas em ajudar. Só pensam no dinheiro”, completou.

Del Nero, porém, não foi citado em nenhuma investigação até agora. Ele se pronunciou sobre o caso, defendendo José Maria Marín, seu aliado, e colocando a culpa nos contratos suspeitos da Copa do Mundo de 2014, que estão sendo investigados pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em Ricardo Teixeira, ex-mandatário da CBF.

“São contratos firmados antes da administração do Marín, não tem nada firmado após. Eu conheço esses contratos”, disse Del Nero.

Em nota, a CBF disse que apoia as investigações.

Até Zezé Perrella ajuda

Na busca por apoio, o ex-jogador da seleção brasileira contou com o apoio de Zezé Perrella, ex-presidente do Cruzeiro, que também é senador.

Uma mudança enorme de postura, já que, Perrella foi contra a criação de uma CPI da CBF no Senado em 2013 e agiu para convencer colegas a retirar assinaturas do requerimento, proposto pelo ex-senador Mário Couto (PSDB-PA).

Desta vez, contudo, o mineiro entende que as circunstâncias são diferentes.

“Eu fui contra a CPI na época da Copa do Mundo porque achava que não tínhamos fato relevante que a justificasse. Hoje, existe ex-dirigente da CBF preso por corrupção. Pela gravidade da situação, nós temos a obrigação neste momento de fazer uma CPI nesta Casa”, explicou.

Em 2014, o senador Randolfe Rodrigues também tentou levar adiante a criação de uma CPI para investigar as autoridades do futebol brasileiro, mas não teve sucesso. ESPN

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.