Retrato Falado auxilia na identificação de suspeitos nas investigações policiais

Manaus – Um método regularmente utilizado na identificação de pessoas durante investigações criminais da Polícia Civil do Amazonas é o Retrato Falado. Um procedimento que consiste na representação das características de um indivíduo ainda não identificado, mas que está sendo procurado pela Polícia como suspeito de cometer um determinado crime.

Conforme a servidora Tânia Rocha, responsável pelo setor de Retrato-Falado do Instituto de Identificação da Polícia, é possível combinar traços e expressões do rosto de uma pessoa a partir de dados informados pelas vítimas, como, características físicas gerais, específicas e distintas.

“Esse é um método fundamental para que a investigação policial obtenha êxito. Nosso objetivo é criar um ‘retrato’, uma imagem da fisionomia da pessoa”, disse Tânia. De acordo com ela, todo o procedimento se inicia quando durante um registro de ocorrência e relato de caso na Delegacia de Polícia, a vítima descreve detalhes dascondições de visualização do crime, assim como dados a respeito da iluminação, distância entre outros dados.

Segundo Tânia, posterior a essa fase, a vítima é encaminhada ao Instituto de Identificação, localizado na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus. “Aqui são descritas características do suposto autor do crime, obtido informações como a forma do rosto, dos olhos, da boca e do nariz”, conta.

O processo de criação do Retrato Falado ocorre com a apresentação de várias partes de rostos de pessoas separadamente, que são construídas junto com a vítima e o profissional. Todos os dados irão compor o rosto final da pessoa procurada.

Em seguida, são selecionados a cor dos cabelos e da pele, se necessário, a adição de detalhes como cicatrizes ou tatuagens, segundo as características dadas pela vítima.

O tempo de duração para concluir um procedimento de Retrato Falado leva em torno de duas a cinco horas, dependendo da capacidade da vítima em descrever informações exatas sobre a fisionomia do criminoso. De acordo com Tânia, algumas vítimas têm dificuldades em contribuir na identificação devido a traumas sentidos após o ato do crime.

O Retrato Falado é um procedimento comum, que contribui nas investigações de crimes, na maioria dos casos de estupros e roubos.

“Hoje em dia também são utilizadas imagens de vídeo e de fotos para auxiliar na reconstrução facial humana da pessoa”, disse Tânia.

Antigamente, os métodos utilizados eram somente a recriação artística. Atualmente, as técnicas utilizadas para a construção do retrato falado são feitas a partir de um banco de imagens dos diversos componentes do rosto humano, através da concepção de raça e biotipologia.

Em Manaus, o Gerente de Identificação Criminal, Antonio Ibrahim Marques dos Santos, trabalha em conjunto com a Técnica de Retrato Falado, Tânia de Oliveira Rocha, a fim de obter cada vez mais êxito no que diz respeito à captura dos autores desses crimes.

Os Retratos Falados são divulgados nas Delegacias, nos jornais impressos, programas televisivos e nas mídias sociais da Polícia Civil do Estado do Amazonas.

Fonte – Ascom

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.