Projeto busca viabilizar diferentes sistemas de cultivo da castanheira-do-brasil

Amazonianarede – Embrapa

A Castanheira-do-brasil é uma árvore de grande importância socioeconômica no extrativismo da região Amazônica Brasileira e poderá ganhar mais espaço na economia sendo cultivada na fruticultura. Este é o desafio de um novo projeto de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) que está reunindo esforços de diversas áreas do conhecimento para viabilizar a produção de castanhas em diferentes sistemas de cultivo.

O novo projeto de pesquisa se chama “Pré-melhoramento, ecofisiologia e desenvolvimento de tecnologias de manejo para a implantação da castanheira-do-brasil em cultivo na Amazônia”. Sua execução envolve seis planos de ação, com atividades a serem desenvolvidas em plantios e em florestas nativas nos Estados de Roraima, Amazonas, Acre, Amapá e Pará.

Participam do projeto pesquisadores da Embrapa Roraima, Embrapa Amazônia Ocidental, Embrapa Amazônia Oriental, Embrapa Acre, Embrapa Amapá, Universidades Estadual e Federal do Amazonas, Universidade Federal de Roraima e Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia.

A líder do projeto, pesquisadora da Embrapa Roraima, Teresinha Albuquerque, afirma que há necessidade de pesquisas básicas voltadas tanto para aumentar a produtividade quanto para melhorar a qualidade das castanhas produzidas.

Em resposta a essa necessidade, o objetivo principal do projeto é gerar conhecimento sobre aspectos morfológicos, agronômicos e ecofisiológicos de castanheira-do-brasil, visando o desenvolvimento de tecnologias de manejo para implementar a produção e melhorar a qualidade de castanhas em sistemas de monocultivo e consorciado.

Diante disso a expectativa é que os resultados do projeto possam ser úteis para a implantação de futuros programas de melhoramento genético da castanheira-do-brasil (foto) e para a definição de cnologia para produção de mudas de elevada qualidade, definição de fatores ambientais que induzem o florescimento das plantas, e de tecnologias de manejo para aumentar a produção e qualidade de castanhas.

Pesquisadores que realizam estudos com a castanheira-do-brasil e estão vinculados a esse projeto reuniram-se na Embrapa Amazônia Ocidental, em Manaus, de 3 a 6 de dezembro, no “Workshop Castanheira-do-Brasil, uma Nova Fronteira para a Fruticultura” discutir a execução do projeto, que iniciou este ano e se estende até 2015. A equipe também articula a elaboração de um livro sobre a castanheira, com os resultados desses estudos.

Além das atividades em Manaus, os participantes do workshop visitaram a Fazenda Aruanã, no município de Itacoatiara (AM). Essa fazenda foi inicialmente voltada para pastagens, na década de 70, e depois foi redirecionada para a plantação de castanheiras-do-Brasil. De acordo com o proprietário, agrônomo Sérgio Vergueiro, o local representa atualmente o maior plantio da espécie, com mais de 1 milhão e duzentas mil árvores. Esse plantio atende a reposição florestal obrigatória para empresas madeireiras e também corresponde a investimentos do proprietário para colheita de frutos e manejo da madeira.

No local também são produzidas mudas para fornecimento a projetos de recuperação de áreas degradadas. Nesta fazenda, a Embrapa Amazônia Ocidental realiza pesquisas de silvicultura, em parceria com o empreendimento, relacionadas ao cultivo e manejo da castanheira.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.