Prefeitura de Manaus capacita camelôs na área de empreendedorismo

A Prefeitura de Manaus está capacitando, com apoio do Governo do Estado, os vendedores ambulantes que aderiram ao projeto Viva Centro Galerias Populares. Os cursos de qualificação tiveram início nesta segunda-feira (24) e seguem até 9 de maio.

A capacitação é resultado de ação coordenada pela Secretaria Municipal do Centro (Semc), Secretaria Extraordinária do Fundo Municipal de Fomento à Micro e Pequena Empresa (Fumipeq) e Secretaria Municipal de Feiras, Mercados, Produção e Abastecimento (Sempab). Os cursos são executados pela Escola de Serviço Público Municipal (ESPI), órgão vinculado à Secretaria Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad), e pelo Centro de Educação Tecnológica do Amazonas (Cetam), órgão do Governo do Estado, que vem apoiando a Prefeitura de Manaus no processo de capacitação dos trabalhadores do Centro.

Participam dos treinamentos 637 camelôs. A diretora da ESPI, Luiza Bessa Rebelo, explica que os treinamentos oferecem formação visando ao empreendedorismo. “Grande parte dos camelôs tem experiência no comércio e a proposta pedagógica é aliar essa trajetória a novos conhecimentos técnicos, que devem influenciar positivamente para a formação de empreendedores, cuja visão geral deve ser de investir no próprio negócio e trazer ganhos também para a cidade”, afirma.

O secretário municipal do Centro, Rafael Assayag, ressalta que a série de medidas envolvendo trabalhadores ambulantes faz parte do processo de ordenamento e revitalização do Centro de Manaus. “Adotamos a mesma metodologia de capacitação para os permissionários do Mercado Municipal Adolpho Lisboa. É uma receita que deu certo e estamos repetindo com expectativa de sucesso”, disse.

Até maio, serão ministrados quatro cursos – ‘Atendimento ao Cliente’, ‘Gestão de Pequenos Negócios’, ‘Aprendendo a Empreender’ e ‘Gestão financeira: do controle à decisão’. As aulas estão ocorrendo na Escola Dom Bosco e na unidade 3 da Uninorte. Os cursos são ministrados por profissionais do Cetam, órgão responsável, também, pela certificação e material didático. “A proposta é que o camelô conclua o curso com a visão de empreendedor, que gera renda para a família e também contribui com o desenvolvimento econômico da cidade”, salienta o diretor de Relações Empresariais e Institucionais do Cetam, Leonardo Monteiro.

O secretário da Sempab, Fábio Pacheco, observa que Manaus tem cerca de 15 mil camelôs que ainda estão em fase de recadastramento. De acordo com Pacheco, trabalhadores de feiras e mercados também estão passando por capacitações da Prefeitura. “De maneira geral, a prefeitura está investindo nessa revolução por meio de melhorias estruturais e, também, através do processo educacional, que é capaz de mudar qualquer postura”, disse.

O presidente da Associação dos Trabalhadores do Comércio Informal, Givanildo Marques, ressalta que os camelôs estão vivenciando um novo momento. “Acredito muito que quando finalizarmos esse processo, poderemos dizer que valeu a pena. Vamos ser donos do nosso próprio empreendimento, dentro de um espaço que é nosso”, afirmou.

2ª parcela do Bolsa Empreendedor será pago nesta terça

Nesta terça-feira (25), a Prefeitura inicia o pagamento da segunda parcela do Bolsa Empreendedor aos trabalhadores, que tiveram as bancas removidas das ruas para os camelódromos provisórios. O pagamento da bolsa será feito nos locais onde os trabalhadores estão sendo capacitados, para evitar o deslocamento deles até a sede da Secretaria Municipal do Centro (Semc).

O titular da Secretaria Extraordinária, David Reis, informa que o pagamento da bolsa, no valor de R$ 1 mil para cada camelô, deve ser concluído até esta sexta-feira (28). “Estamos dando início ao processo de capacitação, que faz parte dessa mesma proposta de oferecer ao trabalhador a oportunidade de se tornar um bom empreendedor. Ao final do curso, todos receberão o diploma reconhecido pelo Ministério da Educação e terão, sobretudo, acesso a novos conhecimentos para seu aperfeiçoamento”, destacou.

Galerias Populares – A primeira etapa do projeto oferece quatro opções para que os camelôs saiam das calçadas e tornem-se microempreendedores. As opções são duas galerias, um shopping ou o financiamento de R$ 10 mil para a abertura de novo negócio fora do logradouro público. Ao final de todas as etapas do projeto, a Prefeitura irá realocar os 2.082 camelôs do Centro de Manaus. Até as Galerias Populares – Espírito Santo e Remédios – e o Shopping T4, na Zona Leste, ficarem prontos, os camelôs ficarão realocados nos Camelódromos Provisórios das ruas Epaminondas, Floriano Peixoto e Miranda Leão.

Nessa fase de funcionamento das estruturas provisórias, a prefeitura também está investindo na segurança e na comodidade dos camelôs e da população. Um dos exemplos nesse sentido é que a prefeitura levou aos camelódromos da Epaminondas e Floriano Peixoto os serviços de saúde da Carreta da Mulher. Na Miranda Leão, estão disponíveis serviços do Sistema Nacional de Emprego (Sine/AM). Nos três camelódromos há, ainda, acesso à Internet sem fio, dentre outras medidas que visam garantir melhor acolhimento de trabalhadores e clientes.

Foto: Tácio Melo /Semcom

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.