Prefeitura começa a fazer um diagnóstico para resolver a ocupação dos camelôs no Centro Histórico de Manaus

Amazonianarede –Jam

Manaus – A limpeza do centro Histórico de Manaus, incluindo a realocação dos vendedores ambulantes (camelôs) que tomaram contra do local, favelizado o centro, é uma das grandes preocupações do prefeito Artur Neto, que promete trabalhar com muita determinação, mas também com muito dialogo para dar uma nova visão ao centro da cidade, que deverá ser inteiramente revitalizado já para a Copa do Mundo.

Tudo começa ainda nesta semana com a elaboração de um completo diagnóstico da situação para projetos possam ser elaborado de forma criteriosa para atacar de frente e com determinação o problema, que no entendimento do prefeito é grave e pr3ecisa de uma solução urgente. Esse trabalho inicial contará com a participação das lideranças dos ambulantes, do Clube de Dirigentes Lojistas de Manaus e da Associação Comercial do Amazonas.

“Sabemos que a situação do Centro é complicada, mas queremos que todos possam ver e, a partir daí, começar as ações para reorganizar a área central de Manaus. Essa é apenas a primeira etapa para dar uma nova cara à cidade”, disse o títular da secretaria do centro, Rafael Lemos Assayag.

Conforme Assayag, a Secretaria Extraordinária para Requalificação do Centro de Manaus tem a missão de coordenar as ações executadas na área central da capital por diferentes secretarias municipais. “Diferentemente de outros bairros, o Centro é um espaço que recebe pessoas de diferentes classes sociais, sem discriminação. Além de tudo, é a nossa área histórica que deve ser preservada”, disse.

Revitalização do centro

Para o secretário municipal de Requalificação do Centro de Manaus, as fachadas de prédios do Centro Histórico são um dos pontos que mais devem receber atenção do poder público. A necessidade de revitalização das fachadas dos casarões antigos e a readequação visual dos lojistas são algumas das prioridades.

“O Centro é onde está a história de Manaus. É um espaço envolto da intelectualidade de nossos poetas, nossos historiadores e políticos. É a nossa história e temos que preservar”, afirmou Assayag.

Relocação dos camelôs

Segundo o secretário, a nova gestão planeja ações específicas para os vendedores ambulantes da cidade. A primeira etapa envolve a identificação de quem realmente é camelô. “Há lojistas, estrangeiros e até funcionários públicos atuando como camelô para complementar a renda. Queremos realojá-los para onde não percam renda”, explicou.

Zona Azul

A implantação do Sistema de Estacionamento Rotativo Pago ‘Zona Azul’, segundo Assayag, também deverá ser prioridade. A licitação para o sistema vem sendo protelada desde dezembro de 2011. Na época, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) atribuiu ao atraso a falta de revitalização do centro da capital. “Vamos estudar a possibilidade de incluir as categorias dos flanelinhas”, disse Rafael Assayag.

Catalogação de árvores

Algumas ações imediatas devem ser realizadas pela secretaria. Entre elas, está o levantamento de árvores da cidade. Uma parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) deve minimizar os acidentes causados por árvores antigas. “Semana passada, uma árvore caiu em cima de um carro e quase mata um família inteira no bairro Dom Pedro. Queremos evitar esse tipo de situação”, afirmou o secretário Assayag.

Manaus Moderna

Organizar a área da feira da Manaus Moderna, na Zona Sul da capital, é também uma das metas para a prefeitura. A área é costumeiramente conhecida pelo livre trânsito de carretas. Uma parceria com a Secretaria Municipal de Empreendedorismo e Abastecimento deve atender a proibição do fluxo de carretas na capital durante o dia.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.