Polícia Civil divulga balanço das prisões feitas em 2015 pela Polinter

Delegado Antônio Pádua Junior

 

 

Delegado Aotonio pádua JuniorAmazonas – A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP), divulgou nesta terça-feira, dia 12, o balanço geral das atividades do ano de 2015 e realizou ainda, a captura de dois foragidos da Justiça, sendo um por homicídio qualificado e tentado e outro por tráfico de drogas.

Durante o ano passado, foram cumpridos e comunicados um total de 1.156 mandados judiciais, sendo divididos em criminais e cíveis. Já entre os mandados de prisão realizados, foram contabilizados um total de 229.

Vale ressaltar que há diferença entre o mandado de prisão cumprido e o mandado de prisão realizado, tendo em vista que no primeiro caso, a pessoa já se encontra presa e o mandado é apenas protocolizado na cadeia, enquanto que no segundo, há a captura do indivíduo que se encontra foragido.

A DECP possui um volume de trabalho burocrático bastante relevante, pois além do cumprimento de mandados de prisão na área criminal e na área civil, decorrente de pensão alimentícia, realiza ainda diligências por meio de cartas precatórias, estendidas por delegacias de diversos municípios e estados do Brasil.

Segundo o delegado titular da DECP, Antônio Rondon Júnior, em 2015 foram cumpridos 323 mandados de prisão relativos às pessoas denominadas “Aquários”, ou seja, que já se encontravam presas por outros crimes. “Durante o processo de investigação, há a possibilidade do nosso “alvo” já estar preso, então é dado cumprimento ao mandado na cadeia e a situação do preso tende a se agravar”, explica.

Tráfico de drogas e roubos

Conforme o levantamento do balanço das atividades da DECP, entre os crimes mais frequentes destacam-se homicídio, tráfico de drogas e roubo. As zonas Norte e Leste da capital são as que concentram mais incidências desses tipos de crime.

Registro fotográfico de alguns presos no ano passado
Registro fotográfico de alguns presos no ano passado

Para compor a linha de investigação da DECP, o delegado utiliza um perfil criminológico das pessoas que são detidas, com o intuito de aperfeiçoar as técnicas investigativas utilizadas na captura. “A pesquisa feita com os capturados tem caráter empírico e serve como pontapé inicial para o aprimoramento de nossas atividades investigativas, mas os dados não podem ser utilizados como verdade absoluta”, disse.

Um dos projetos do titular da DECP é a interligação eletrônica entre a especializada e o Poder Judiciário, de modo que o Sistema Integrado de Segurança Pública (SISP) e o Sistema de Automação da Justiça (SAJ) possam funcionar juntos, visando garantir a celeridade processual e o cumprimento efetivo das demandas existentes. “Por meio do malote digital, conseguiremos eliminar inconsistências referentes à validade de mandados existentes no SISP e, no futuro, quem sabe poderemos ter uma ligação entre os sistemas SISP e SAJ, para garantirmos a efetivação do cumprimento das atividades da DECP para a população“, ressaltou.

Ainda de acordo com o delegado, as equipes de investigação não estão poupando esforços para cumprir seu papel junto à sociedade. “Registramos um crescimento no número de prisões realizadas por nossas equipes e continuaremos com os trabalhos para garantir a segurança da população”, declarou.

Amazonianaree-Assessoria

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.