Ordem de serviço para dragagem do Madeira é assinada

Amazonianarede – Assessoria

Manaus – Após seis anos de luta, a instrução de serviço, contrato e ordem de serviço para a dragagem do rio Madeira, entre a cidade de Porto Velho (RO) e sua foz no rio Amazonas, foi assinado, hoje (22), entre a Administração das Hidrovias da Amazônia Ocidental (Ahimoc) e a empresa Petcon, responsável pelo serviço.

A assinatura ocorreu na sede da Ahimoc, no Centro de Manaus, e contou com a participação do presidente do Sindicato das Empresas de Navegação no Estado do Amazonas (Sindarma), Claudomiro Carvalho, além de administradores dos portos e entidades ligados ao setor.

De acordo com o superintendente da Ahimoc, Sabá Reis, há seis anos a instituição luta pela assinatura da ordem de serviço para a dragagem do madeira. Segundo ele, há seis meses a Ahimoc não coloca em prática a operação de dragagem naquela região. “Este é um ganho muito positivo para a região. Após a assinatura o contrato entra em operação a partir do dia 15 de julho e poderá ser acompanhado pelos prefeitos e todos os moradores da região do rio madeira”, informou ele, salientando que há pelo menos sete portos no entorno do madeira.

O sócio da empresa Petcon, Gustavo Lontra, informou que o estudo de viabilidade técnica e ambiental já foi concluída e a antecipação da assinatura da ordem do serviço permitirá que a dragagem seja feita durante todo o período da vazante do rio. “Esta é um notícia muito positiva, porque vamos iniciar o trabalho no período certo, ou seja, quando o rio estiver baixando. Com isso, colocamos o material para desobstrução e o próprio rio retira o excesso de objetos que dificultam o transporte marítimo”, explicou.

Para o presidente do Sindarma, Claudomiro Carvalho, o balizamento trará ganhos para economia local e vai dar impulso no transporte marítimo. Segundo ele, pelo menos 500 embarcações, entre balsas e empurradores, utilizam o madeira para transportar combustível, grãos, carretas, passageiros e outras cargas em geral. Na época da seca, quando o rio está baixo, muitas empresas reduzem em 40% a capacidade de armazenamento da balsa porque o rio não tem ‘calado’ suficiente para a embarcação passar em alguns canais, onerando os custos do transporte. E com a dragagem vai melhorar sobremaneira a passagem”, defendeu.

A empresa Petcon, responsável pela operação, venceu o pregão ocorrido em setembro do ano passado e receberá R$ 6.398,205 para dragar o rio madeira.

Estudo

De acordo com o superintendente da Ahimoc, Sabá Reis, o estudo de viabilidade técnica e ambiental solicitado pelo Ibama já foi concluído, inclusive, nos rios Amazonas, Guaporé e Mamoré. Ele informou ainda que os próximos a serem contemplados serão os rios Solimões, Purus, Branco e Negro. “Temos um projeto para a dragagem de outros rios, mas foi contemplado apenas o Madeira neste momento”, afirmou.

Texto – Auriane Carvalho 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.