“Operação Salve Jorge” combate o tráfico na zona oeste de Manaus

(Foto: Ascom)

A Polícia Civil do Amazonas, após cinco meses de investigações, deflagrou na manhã desta sexta-feira (18) a operação “São Jorge”, com o objetivo de desarticular o tráfico de drogas na Zona Oeste da capital.

A ação, coordenada pelas Delegadas Suely Costa, Titular da Seccional Oeste, e Ana Patrícia Ventilari, Titular do 21º Distrito Integrado de Polícia (DIP), resultou nas prisões de 10 pessoas.

Deflagrada às 6h, a operação “São Jorge” contou com a participação de 50 Policiais Civis, incluindo integrantes do Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (FERA). Dez mandados de prisão e 13 de busca e apreensão, expedidos pelo juiz Julião Lemos Sobral Júnior, da 3ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecente (Vecute), foram cumpridos durante a ação policial.

Wemerson da Silva e Silva, 24, o “Magá” foi preso na residência dele, na rua São Benedito, bairro Colônia Santo Antônio, Zona Norte da capital. O comparsa dele, Renato Pereira da Costa, 36, e a companheira dele, Mary Lane Bastos de Oliveira, 42, foram presos na rua Tiradentes, bairro Compensa 1. Antônio Leandro da Silva Alves, 24, conhecido como “Gago”, foi preso no apartamento onde morava, em um condomínio localizado na avenida Torquato Tapajós, bairro Santa Etelvina, Zona Norte.

No bairro São Jorge, os policiais prenderam Patrick Tambey Reis da Silva, 30, na rua 1º de Maio, Herbson Perote da Silva, 33, preso na rua Vicente Torres Reis, Darcineide Freitas Guilherme, 37, a “Farofa’, presa na rua J. Vasconcelos, Alisson da Silva e Silva, 24, o “Bebê”, preso na rua Nossa Senhora de Fátima, o ex-policial civil Wylks Nonato dos Santos, 50, conhecido como “Katinguelê”, preso na rua Benjamim Lima, e Douglas Seixas de Oliveira, preso no beco Bragança.

No decorrer da operação foi apreendido aproximadamente 1,2 kg de substância entorpecente com aparência de cocaína pura, três balanças de precisão, R$ 557 em espécie, 300 maços de cigarro sem nota fiscal, material para embalo e refino de drogas, anabolizantes, medicamentos tarja preta, carimbos, receituário médico e um simulacro.

“A Polícia Civil vem fazendo um trabalho contínuo contra o tráfico de drogas. Em alguns casos nós só chegamos às pessoas que cometem o crime por meio de denúncias da população. Com base nas informações repassadas, iniciamos as investigações. A partir daí representamos os mandados à Justiça”, destacou o Delegado Geral de Polícia Civil do Amazonas, Josué Rocha, durante coletiva de imprensa ocorrida na manhã de hoje, na sede da 4ª Seccional Oeste.

Josué Rocha destaca ainda que as prisões realizadas durante a operação são demonstrações de que a população tem contribuído significativamente com o trabalho da instituição. “Queremos agradecer a população por acreditar na Polícia Civil. Hoje, com a dedicação de todos os servidores envolvidos nesta ação, conseguimos tirar das ruas essas pessoas que incomodam a sociedade”, frisou.

“A partir de um trabalho de inteligência conseguimos identificar os elementos e fizemos um organograma desse grupo criminoso. Hoje conseguimos prender essas pessoas que estavam incomodando a comunidade do São Jorge e bairros adjacentes. Wemerson foi preso na Zona Norte, porém ele comandava o tráfico de drogas na Zona Oeste”, declarou Ana Patrícia Ventilari.

Autuados em flagrante, Wemerson, Renato, Mary Lane, Alisson e Douglas vão responder por tráfico e associação para o tráfico de drogas (Artigos 33 e 35, respectivamente, da Lei nº 11.343/06). Douglas também responderá pelo Artigo 34 da Lei nº 11.343/06, por conta de apetrechos para o tráfico encontrados com ele.

Patrick foi autuado em flagrante por falsificação, corrupção, adulteração de produto destinada a fins terapêuticos, além de contrabando (artigos 273 e 334 do Código Penal Brasileiro). Após os procedimentos cabíveis, o grupo vai ser encaminhado para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde ficará à disposição da Justiça.

Além das 10 pessoas presas durante a operação, duas prestadoras de serviço da Polícia Civil do Amazonas foram indiciadas. Rosa Maria Mais dos Santos, 44, e Jucilene Mendonça de Araújo, 36, vão responder ao processo em liberdade.

De acordo com as investigações, as duas mulheres passavam informações privilegiadas da Polícia Civil do Amazonas para a quadrilha. Elas serão desligadas das funções na instituição.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.