Omar Aziz inaugura expansão do Hospital Francisca Mendes

O governador Omar Aziz inaugurou nesta terça-feira, 25 de março, a obra de expansão do Hospital Francisca Mendes (HFM), no bairro Cidade Nova II, zona norte.

Em sua nova estrutura, a unidade, que já é referência em Cardiologia, passará a realizar cirurgias em crianças portadoras de cardiopatias congênitas, incluindo recém-nascidos. Com a implantação do Serviço Assistencial de Cardiologia Pediátrica, o Governo do Amazonas reforça a oferta desses procedimentos, até então disponibilizados pelo Estado através de rede conveniada.

Na ocasião, o governador, que estava acompanhado da presidente do Fundo de Promoção Social (FPS), a primeira-dama Nejmi Jomaa Aziz, e do vice-governador José Melo, ainda assinou a mensagem com o Projeto de Lei, a ser encaminhado à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que transforma o HFM em Fundação do Coração Francisca Mendes.

Omar Aziz declarou-se encantado com o fato de o hospital passar a tratar recém-nascidos com problemas cardíacos.

“Vamos tratar cardiopatas neonatais, que era uma demanda reprimida na cidade. Além disso, vamos aumentar de 40 para 80 o número de cirurgias cardíacas realizadas no hospital”, disse o governador, ao ressaltar que, além de ampliação da estrutura física, o hospital ganhou equipamentos novos de última geração e uma estrutura de primeiro mundo. “Eu espero que essa obra possa salvar vidas. Você governa com o objetivo de melhorar a qualidade de vida e na saúde não tem nada mais importante do que você ter uma boa estrutura física e profissional para salvar vidas”.

Entre obras e equipamentos, o investimento feito pelo Governo do Estado para ampliar o HFM foi de R$ 45 milhões, incluindo R$ 1,9 milhão de recursos federais. O secretário estadual de Saúde, Wilson Alecrim, explica que a implantação do serviço de cirurgia cardíaca pediátrica acontecerá em duas fases. Na primeira, com começo imediato, terão início os procedimentos para tratamento de cardiopatias congênitas pelo método endovascular (intervenção percutânea). Num prazo de trinta dias, terão início os procedimentos cirúrgicos pelo método convencional (com abertura de tórax). “É importante destacar que o método endovascular vai atender um número expressivo de crianças que aguardam pela cirurgia e podem ter a anomalia cardíaca resolvida por este procedimento menos invasivo, por se tratar de casos de menor complexidade”, destacou Alecrim.

Ainda segundo o secretário, o aumento da capacidade de realização de cirurgias cardíacas será gradativo. “Vamos aumentar de 40 para 60 a partir de abril e, em maio, chegaremos a 80”.

Estrutura – O novo prédio da expansão do HFM possui uma área total de 2.500 m2 distribuídos em três andares. No primeiro andar funcionará a Enfermaria Pediátrica de 21 leitos. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica, com 10 leitos (sendo três neonatais), funcionará no segundo andar. No terceiro piso foi instalado o serviço de Hemodinâmica, equipado com um novo aparelho de tecnologia 3D, o único do porte em funcionamento nas regiões Norte e Nordeste.

“Com esse equipamento, de última geração, o Hospital Francisca Mendes dobra sua capacidade de realização de procedimentos endovasculares, tanto para o diagnóstico quanto para o tratamento de doenças cardíacas”, informa o diretor do HFM, Pedro Elias. Entre esses procedimentos estão o cateterismo cardíaco, tratamento de aneurisma de aorta e aneurisma cerebral, de arritmias cardíacas, o implante de stents, entre outros. Ainda entre os equipamentos adquiridos pelo Governo do Estado para ampliar e modernizar o apoio diagnóstico está um tomógrafo de 64 canais, que é o primeiro do tipo na rede pública estadual de saúde e será utilizado para realização de angiotomografia, especialmente a de coronária. Um novo polígrafo, utilizado em procedimentos que visam tratar arritmia cardíaca, também foi adquirido.

Treinamento no HCor – Pedro Elias frisa que, para a implantação do Serviço Assistencial de Cardiologia Pediátrica, equipes de profissionais receberam treinamento no Hospital do Coração (HCor), instituição paulista que é considerada referência mundial em Cardiologia. Todo o processo de treinamento foi custeado pela Secretaria de Estado da Saúde (Susam), em parceria com o Ministério da Saúde, por meio do Projeto dos Hospitais de Excelência e do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (SUS). A equipe multiprofissional, formada por cirurgiões cardíacos, pediatras, intensivistas neonatais, perfusionistas, fisioterapeutas, farmacêuticos-bioquímicos, enfermeiros, assistentes sociais, nutricionistas e psicólogos, foi toda escolhida por meio de Edital Público, em processo seletivo realizado pela Susam no início do ano passado.

“O Serviço Assistencial de Cardiologia Pediátrica do HFM vai contemplar todos os componentes da linha de cuidados cardiopediátricos, incluindo ambulatório, serviço de apoio diagnóstico e terapêutico, cardiologia intervencionista, internações clínicas e cirúrgicas, internação em UTI, entre outros”, diz Pedro Elias.

UTI Coronariana – O HFM também ganhou uma Unidade de Terapia Intensiva Coronariana, com 10 leitos. Instalada no prédio principal do hospital, a UTI foi toda reformada e reequipada e se junta à UTI de pós-operatório de cirurgias cardíacas, que já dispõe de 12 leitos. “A UTI Coronariana é um espaço para acompanhamento e tratamento clínico de pacientes com doenças cardíacas que não dependem de cirurgia e também para o tratamento inicial de paciente pós-infarto do miocárdio”, ressalta Pedro Elias.

Fundação do Coração – O secretário Wilson Alecrim salienta a importância da transformação do HFM em fundação, conforme projeto que será encaminhado pelo Governo do Estado à análise da Assembleia Legislativa, nesta semana. “A autonomia administrativo-financeira, característica das fundações, dá mais agilidade às decisões tanto na área administrativa quanto na área técnica, como ocorre hoje, por exemplo, na Fundação de Medicina Tropical e Fundação Hemoam”, diz Alecrim. A Fundação do Coração Francisca Mendes será a sétima vinculada à Susam, que já conta, além da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD) e Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), também com a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), Fundação Alfredo da Matta (Fuam), Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (FHemoam) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Foto – Alex Pazuello / Agecom

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.