Novos servidores do INCRA no Amazonas chegam com vários sotaques

Amazonianarede – Ascom

Manaus – Com uma miscelânea de sotaques, com destaque para o nordestino, mineiro, sulista e o nosso caboclo, a Superintendência Regional do INCRA no Amazonas e a Associação dos Servidores do INCRA, com um café da manhã na quinta-feira Santa, recepcionaram os 17 novos servidores que aprovados em concurso público, foram empossados na superintendência, todos esperançosos da realização de um grande trabalho na instituição.

Os novos servidores do INCRA Amazonas já atuando, são três analistas administrativos: Rejane Quaresma de Moraes, Adriane Giacomozzi Magioli: Engenheiros florestais: Vinicius Passos Pizziolo, Robson Disarz, Leocimara Mendes dos Santos: Engenheiro civil Francisco Paula de Carvalho; gronomos: Ludimila Verona Carvalho Gonçalves, Ana Leônia de Araújo Giulliana Mairana Morais de Souza, Marno Elisandro Losekan, Luiz Renato Axt Junior, Paulo Eduardo Ferreira Mendes, Ytalo Renno Custódio Martins; Técnico em Desenvolvimento Agrário: Lucas Eduardo Romitti, Vanil Vasconcelos Costa, Wagner Sartório Menegrado e José Ronaldo de Deus Filho.

O mestre de cerimônias foi o presidente da Assincra Washington Vasconcelos que após as apresentações individuais dos novos servidores e dos antigos, passou a palavra para a superintendente Maria do Socorro Marques Feitosa, que com um discurso cheio de otimismo e esperança deu as boas vindas aos novos integrantes da “ família INCRA no Amazonas” e desejou a todos boa sorte e garantiu que não lhes faltará trabalho.

Para a grande maioria que não conhece ainda a região amazônica e as suas peculiaridades, a superintendente falou das dificuldades e desafios, mas ressaltou que os desafios são ingredientes básicos da região, que segundo ela é linda, diversificada, desafiadora e gostosa de trabalhar apesar dos desafios e da geografia regional, onde grandes distâncias precisam ser vencidas para que as ações do INCRA possam chegar à ponta onde estão os assentados.

Falou da importância do trabalho do Governo Federal através do INCRA, que desenvolve políticas de inclusão social e do que essa nova força de trabalho representante para a superintendência e para os assentados da reforma agrária.

Também participando do café de boas vindas, o coordenador do Programa Terra Legal, Luiz Antonio Souza, que nasceu em São Paulo e está a vinte anos no Amazonas, ressaltou que para se entender a Amazônia é necessária que se deixe no cabide outras culturas e se vista inteiramente de amazônica e aí, segundo ele tudo ficará mais fácil e o trabalho fluirá com mais naturalidade e com isso, os desafios, que são muitos, serão vencidos com maior facilidade.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.