No Careiro, ribeirinhos atingidos pela cheia pela serão alojados em barracas em balsas

Barracas serão armadas em balsas para socorrer ribeirinhos vitimas da cheia no Careiro
Barracas serão armadas em balsas para socorrer ribeirinhos vitimas da cheia no Careiro
Barracas serão armadas em balsas para socorrer ribeirinhos vitimas da cheia no Careiro

Careiro da várzea – Careiro da Várzea, município localizado a 25 km de Manaus, está com 80% de sua área alagada pela cheia do Rio Solimões. Mais de 14 mil pessoas já foram afetadas. A Defesa Civil do Estado enviou, nesta sexta-feira (12), uma balsa com barracas para atender famílias desabrigadas.

O órgão estima que 50 toneladas de alimentos ainda serão enviadas ao município durante a enchente. Careiro da Várzea é uma das 42 cidades em estado de emergência no interior do Amazonas.

Segundo o diretor de preparação e resposta pós-resgate da Defesa Civil do AM, Davi Macena, as dez barracas enviadas irão atender, inicialmente, 100 pessoas desabrigadas. Cada barraca possui capacidade para dez pessoas e disponibilizam um kit dormitório com colchões e uma cesta básica.

“Como a maior parte do município está alagada, não podemos montar as barracas em terra firme, por isso elas ficaram na balsa, como uma estrutura móvel. A permanência dessa estrutura é indefinida, ela fica lá dependendo da necessidade do município que será informada pela Defesa Civil municipal. Na balsa, também temos dois banheiros químicos e quatro caixas d’água para higiene”, informou.

O diretor também declarou que cerca de 1,5 mil cestas básicas e mais de 1 mil kits madeira serão enviados ao município de Careiro da Várzea até a segunda-feira (15).

No cronograma de assistência da Defesa Civil, está previsto que 50 toneladas de alimentos serão disponibilizados ao município durante a cheia. “Esse primeiro momento, não será o suficiente para todo mundo, mas já estamos com o cronograma de assistência pronto para o município do Careiro”, explicou o diretor.

A cidade de Anamã, debaixo d'água
A cidade de Anamã, debaixo d’água

De acordo com a coordenadora da Defesa Civil do município, Rosilane Costa, a situação em Careiro é crítica. “Estamos com cerca de 300 famílias dentro da água e cerca de 15% das escolas em funcionamento. Temos também vários postos de saúde parados. A prioridade das famílias, no momento, é a madeira. Se receberem cesas básicas, não terão como guardar essa comida”, disse.

Segundo a Defesa Civil do Amazonas, já foram registrados  14.142 pessoas afetadas pela cheia, o que equivale a mais de 2.800 famílias em Careiro da Várzea.

Calamidade pública

Na manhã desta sexta, o órgão também informou que a prefeitura de Anamã, a 168 km de Manaus, também localizado no baixo Solimões, chegou a anunciar estado de calamidade pública. Porém, ainda não foram enviados os documentos para que a Defesa Civil possa avaliar e oficializar a situação do munciípio.

No momento, o único município em estado e calamidade pública no estado, é Boca do Acre, localizada na calha do rio Purus. A Defesa Civil do Estado estima que mais de 435 mil pessoas  – o que equivale a 87 mil famílias – já foram afetadas pela subida do nível das águas em todo Amazonas.

Amazonianarede-G1

 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.