Juninho perde pênalti e Vasco empata com a Ponte

Cruz-Maltino vencia por 1 a 0 até sofrer um gol da Macaca aos 39 minutos do segundo tempo. Juninho ainda perdeu pênalti na primeira etapa.

O Vasco provou do mesmo veneno que seus rivais na noite desta quinta-feira, em São Januário. Assim como Flamengo e Botafogo – que deixaram a vitória escapar nos últimos minutos nesta quarta -, o Cruz-Maltino vencia a Ponte a Preta por 1 a 0 (gol de André) até os 39 minutos do segundo tempo, quando William marcou para a Macaca e empatou o confronto.

Com o feito, o atacante chegou ao oitavo no campeonato e empata na artilharia com Maxi Biancuchi.

O resultado deixou o Gigante da Colina com 15 pontos, ocupando a 11ª colocação. Já a equipe de Campinas chegou aos 12 e segue no 15º lugar.

Na próxima partida, o Vasco pega o Coritiba, neste domingo, no Couto Pereira, às 16h. Enquanto a Ponte recebe o Criciúma, também no domingo no Moisés Lucarelli, às 18h30.

O jogo começou morno. Sem grandes emoções. Em um 4-4-2 bem definido e um pouco “engessado”, o Vasco se via dependente de uma jogada mais criativa de Juninho, que criou o primeiro lance de perigo logo aos sete minutos de jogo.

Com um belo passe, o Reizinho colocou Yotún em condição de marcar. Livre, dentro da área, o peruano bateu mal, para fora. Longe do gol de Roberto – que já defendeu o Vasco entre os anos de 2005 e 2008, quando declarou ser torcedor do clube.

A Ponte Preta sentiu a pressão cruz-maltina e se limitava a tentar emplacar um contra-ataque, puxado por Willian.
O controle cruz-maltino culminou em um pênalti, sofrido por Eder Luis aos 35 minutos.

A expectativa tomou conta dos quase 10 mil torcedores presentes na Colina. Juninho foi para bola, porém, o Reizinho bateu fracou e acabou facilitando a defesa do ex-vascaíno Roberto. O mesmo Roberto que no último domingo pegou uma penalidade de Fred, no empate contra o Fluminense.

A bola defendida por Roberto deu um gás a mais para a Ponte Preta. Logo na sequência, a equipe de Campinas quase marcou com o camisa 9 William, que acertou a trave ao receber um cruzamento de Chiquinho. A primeira etapa terminou com a Ponte melhor que o Gigante da Colina, que desanimou após a penalidade perdida.

CASTIGO NO FIM

A Ponte Preta iniciou o segundo tempo com a “animação” que terminou o primeiro. Antes dos cinco minutos, em uma rápida trama de ataque, Chiquinho invadiu a área e bateu de trivela. A bola passou raspando na trave de Diogo Silva. As alterações feitas por Dorival Júnior (Fagner no lugar de Nei e Robinho na vaga de Fillipe Soutto) deixaram o cruz-maltino mais veloz e ofensivo.

Apesar da correria que a partida seguia, o gol do Vasco veio em uma bola parada. Yotún colocou a bola na cabeça de André em uma cobrança lateral. O camisa 9, em uma testada firme, marcou seu quinto gol no campeonato e já é o artilheiro do Cruz-Maltino na competição.

O gol do Gigante da Colina surtiu o mesmo efeito que a defesa de Roberto teve no primeiro tempo: motivou o time. Com o controle da partida, a equipe de Dorival Júnior não deixava a Ponte causar grandes sustos.

O Vasco ainda criou algumas chances de gol, nenhuma muito clara, mas que ratificavam o controle da equipe. A Ponte até esboçou uma certa pressão, porém, nada que colocasse em xeque o resultado. Até que, também em uma cobrança de falta, a bola foi levantada na área, a defesa cruz-maltina ficou só olhando e Sacoman ajeitou para William empatar aos 39 minutos do segundo tempo. E o jogo terminou assim. Empate com gosto de derrota para cruz-maltino, que definitivamente deixou a vitória escapar.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 1 PONTE PRETA
Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 8/8/2013 – 21h
Árbitro: Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Márcia Bezerra Lopes Caetano (RO)
Cartões amarelos: Pedro Ken e André (VAS), Baraka, César e Ramírez (PON)
Cartão vermelho: –
Renda e público: R$ 160.220,00/ 9.347 presentes
GOLS: André, 12’/2ºT (1-0) e William, 39’/2ºT (1-1)
VASCO: Diogo Silva, Nei (Fagner, intervalo), Jomar, Rafael Vaz e Yotún (Henrique, 25’/2ºT); Abuda, Filipe Soutto (Robinho, intervalo), Juninho e Pedro Ken; Eder Luis e André. Técnico: Dorival Júnior
PONTE PRETA: Roberto, Régis, César, Gustavo (Uendel, 16’/2ºT) e Diego Sacoman; Baraka, Fernando Bob (Magal, 33/1ºT) e Ramírez; Rildo, William e Chiquinho (Everton Santos, 16’/2ºT). Técnico: Paulo César Carpegiani

(Fonte: Lancenet)

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.