Governo do Estado já beneficiou mais de 230 mil pessoas por meio do Proderam

Proderam
Proderam
Amazonianarede-Agecom

Mais de 230 mil pessoas beneficiadas, em nove municípios do Alto Solimões. Estes foram os números apresentados, na última sexta-feira, 26 de outubro, pelo Governo do Estado, por meio do Programa de Desenvolvimento Regional do Estado do Amazonas (Proderam), implementado pela Companhia de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Ciama).

Com financiamento do Banco Mundial, o Proderam atua desde 2009 nos municípios de Tabatinga, Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tonantins, Santo Antônio do Içá, São Paulo de Olivença, Amaturá, Jutaí e Fonte Boa, com ações integradas de saneamento, saúde e desenvolvimento sustentável em toda a região.

Somente na área de saneamento, o Proderam vem executando obras de ampliação e melhoria nos sistemas de abastecimento de água de Atalaia do Norte, Benjamin Constant e Tabatinga, que totalizam investimentos de R$ 32.012.008,05, benefciando mais de 62 mil pessoas. Em Atalaia do Norte as obras já foram concluídas e a distribuição já está em fase de teste.

A meta do Governo é, até o final de 2014, universalizar o acesso à água potável, nos nove municípios, através da otimização dos sistemas existentes, por meio da implantação de Sistemas de Abastecimento de Água nas áreas rurais, em vilas, povoados, comunidades e população dispersa. “Faremos o que for possível para tornar isso uma realidade, pois o que a população quer é a água saindo das torneiras de suas casas”, disse o vice-governador, José Melo.

Sustentabilidade

Em relação ao desenvolvimento sustentável, o Proderam, em parceria com outros órgãos do Estado, prefeituras municipais e organizações locais, vem atuando no apoio à organização social e geração de renda, voltadas para as cadeias produtivas locais, como a piscicultura, meliponicultura, produção de farinha e a cadeia produtiva da castanha-do-Brasil, além da construção de feiras livres para a comercialização dos produtos.

Com um total de R$ 5.432.546,77 milhões de investimentos, estes subprojetos beneficiam 10.916 mil família, incluindo indígenas das etnias Ticuna, Cocama, Caixana, Canimari, Marubo, Matis, Mayoruna e Korubo.
José Fernando de Oliveira, Presidente da Associação dos Pescadores Artesanais de Tonantins (ASPECT), é um dos beneficiados pelo Projeto de Manejo de Lagos. “Sei que a pesca vem em primeiro lugar, porque quem tem lagos em manejo é como ter dinheiro em banco, porque tem condições de sobrevivência na zona rural e isso está sendo possível graças ao Governo do Estado”, disse o pescador.

Desenvolvimento

Cristovão Souza, vice-presidente da comunidade de Arumanduba, em Jutaí, destacou que o projeto trouxe desenvolvimento para a região. “Se chegar aqui no Arumanduba, se não tiver um motor de luz, um aparelho de televisão, aparelho de som, esse não mora aqui. E hoje esse resultado está sendo provado daqui de dentro, fruto do trabalho, onde nós estamos tendo futuro”, completou.

Na área de saúde, o Programa vem atuando na organização da Rede, inclusive com projetos que beneficiam especificamente etnias indígenas locais. Somente em Atalaia do Norte e Benjamin Constant, foram investidos mais de R$3 milhões na reforma, ampliação e equipamentos e geradores de energia para as unidades de saúde, que aumentaram em 30% sua capacidade de atendimento (leitos) após a intervenção do Proderam.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.