Governo do Estado incentiva indígenas a criar tambaquis em gaiola

Amazonianarede – Agecom

Em Matupi, distrito de Manicoré (a 230 km de Manaus), o Governo do Amazonas, por meio do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), vem expandindo a piscicultura junto às aldeias locais, seguindo determinação do governador Omar Aziz de diversificar a modalidade de criação de peixes. A primeira experiência foi na aldeia Marmelo 2, com a instalação de uma Unidade de Observação (UO) de criação de tambaquis em gaiolas.

A atividade ainda é novidade para os índios da etnia Tenharim. O objetivo da UO é mostrar, na prática, que essa modalidade de criação é viável, e de baixo custo, visto que utiliza como estrutura básica a madeira disponível no local. Os peixes foram introduzidos na gaiola em maio do ano passado, medindo cerca de 2,5 cm.

A equipe técnica do Idam acompanhou a criação durante todo esse período, fazendo a biometria (pesagem e medição do pescado) a cada 30 dias, e, atualmente, conforme constatado por visita técnica, os peixes estão pesando em média 600 g.

O gerente da Unidade Local, Stephano Reis Barcelar, explicou que objetivo é utilizar o grande potencial hídrico do rio Marmelo e incentivar as famílias indígenas da comunidade a aderir à modalidade de criação de peixes para impulsionar a atividade na região.

Gaiolas artesanais – A estrutura é confeccionada em madeira e pode ser utilizada como flutuadores (tela de arame e cano PVC de 150 mm, árvore de açacu, balde plástico e garrafa pet). A tela plástica para cobertura pode ser de 2,20 x 2,20 m e malha de 2 cm.

Projeto – Ainda em fase de desenvolvimento, o projeto piloto de criação de tambaquis em gaiola, foi criado em maio de 2012, idealizado pela equipe técnica da Unidade Local do Idam em Matupi, com o objetivo de diversificar a modalidade de criação de peixes.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.