Governo do Amazonas vai investir mais de R$ 12 milhões em reformas de hospitais, na capital e interior

Hospital João Lúcio
Amazonianarede – Agecom

Manaus – O Governo do Amazonas vai investir R$ 12,547 milhões em reformas de hospitais e prontos-socorros na capital e no interior, a partir deste ano. Parte dos recursos foi liberada pela Caixa Econômica Federal, após a assinatura de contrato entre a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) e o Ministério da Saúde.

O contrato prevê a implantação de Redes de Atenção em Saúde nas áreas de Urgência e Emergência (RUE), a partir das adequações que serão realizadas nas unidades. O secretário estadual de saúde, Wilson Alecrim, ressalta que os projetos fazem parte da política de humanização no atendimento, que prevê melhor acolhimento aos pacientes e familiares. Uma das medidas para atingir o objetivo será a habilitação de leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e Unidade de Cuidados Intensivos (UCI). Com a habilitação, os leitos, que antes eram custeados apenas pelo Governo do Amazonas, passam também a receber recursos do Ministério da Saúde, para manutenção.

As recepções e as salas de espera serão modificadas. Será adotado um sistema chamado de classificação de risco, com uma avaliação do paciente, logo na chegada, permitindo identificar a prioridade no atendimento. “Um paciente com dor no peito, na região do coração, por exemplo, terá prioridade em relação a outro que não apresente gravidade”, compara Alecrim.

Os investimentos

Dos recursos previstos para Manaus, o Hospital e Pronto Socorro Dr. João Lúcio Pereira Machado ficará com R$ 850 mil, para realizar obra de ampliação nas áreas de politrauma, neurotrauma, UTI, reanimação e clínica cirúrgica de urgência e emergência e R$ 2,307 milhões para reforma da área de urgência e emergência. No Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto serão investidos R$ 1,231 milhão, para a reforma e adequação da rede de atenção às urgências e emergências, além da estruturação das portas de entrada da urgência.

As maternidades que integram o programa Rede Cegonha também serão beneficiadas com os investimentos. A Rede Cegonha é uma estratégia adotada pelo Ministério da Saúde para humanizar o atendimento às mães e recém-nascidos nas maternidades de todo o Brasil. De acordo com o secretário estadual de Saúde, as unidades da área materno-infantil contempladas com os recursos receberão ambientes especiais, para que as mães permaneçam nas proximidades das maternidades, na Casa da Gestante, Bebê e Puerpera (CGB), enquanto seus filhos estiverem internados em UTI neonatal. A CGB deverá funcionar em um prédio anexo à maternidade. Com isso, as mães receberão alta hospitalar e não precisarão mais ficar internadas no hospital, ocupando um leito, para poder acompanhar o recém-nascido.

“O programa Rede Cegonha vai cuidar da mulher desde o início da gravidez, com um pré-natal de qualidade; durante o parto, nas maternidades; e das crianças, até dois anos de idade. Espera-se, assim, reduzir o número de abortos, de morte materna, neonatal e infantil”, explica Alecrim. O Centro Obstétrico da Maternidade Azilda da Silva Marreiro e o Instituto da Mulher Dona Lindu terão R$ 263 mil, cada um, para implementar essas novidades.

Interior

No interior do Estado, o Hospital Geral José Mendes, em Itacoatiara, receberá R$ 263 mil para a adequação das unidades da Rede Cegonha. “Com esses recursos, daremos prioridade ao parto normal, com acompanhamento pelos maridos. Para isto, teremos mais salas de parto e ambientes para o pré-parto, parto e puerpério”, explica Alecrim. Em Coari, o mesmo valor será investido no Hospital Regional Prefeito Dr. Odair Carlos Geraldo. São Gabriel da Cachoeira será contemplado com a verba de R$ 263 mil para obras no Hospital de Guarnição.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.