Galpões das Escolas de Samba de Manaus estão todos irregulares

Amazonianarede – Crea – Redação

Manaus – Não são apenas as chamadas casas noturnas de Manaus ( casas de shows, boates, danceterias etc) estão funcionando de maneira irregular, como já foi comprovado pela fiscalização da Prefeitura, com a interdição de quase trinta estabelecimentos para que se adequarem com as normas de segurança exigidas.

Os galpões das escolas de samba do Grupo Especial, que estão localizados na Av. Belmiro Vianez, próximo ao “Sambódromo”, foram fiscalizadas pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), foram todos notificados, em função de diversas irregularidades.

Ontem a tarde, os fiscais do CREA-AM, percorreram todos os galpões e foi constatado que nenhuma das oito escolas de samba do grupo especial têm em seus galpões um supervisor técnico exigido pelo CREA para acompanhar os trabalhos realizados nos carros alegóricos.

As escolas de samba do grupo especial: Sem Compromisso, Grande Família, Reino Unido da Liberdade, Vitória Régia, Mocidade Independente de Aparecida, Balaku Blaku, Unidos do Alvorada e Presidente Vargas foram notificadas pelo órgão e devem apresentar documento que comprove a contratação do profissional que esteja acompanhando as obras.

A fiscalização foi acompanhada pelo Presidente em Exercício do Crea-AM, Eng. Agro. Alonso Queiroz que ressaltou a necessidade de agir de forma preventiva a fim de garantir a segurança neste carnaval.

O Superintendente Adjunto de Fiscalização do Conselho, Francisco Gonzaga, conversou com o representante de cada Escola de Samba. Segundo ele, a maioria alegou ter um profissional técnico responsável pelas alegorias, porém não havia o documento que comprove esta contratação. “Nós cobramos a Anotação de Responsabilidade Técnica – A.R.T. que é o documento oficial do Sistema Confea/Crea que indica quem é o responsável pelos serviços que aqui estão sendo executados,” explicou Gonzaga.

As escolas tem um prazo de dez dias para atenderem as exigências do CREA-AM, caso contrário, serão penalizadas com multas.

Segurança

De acordo com o órgão, as alegorias têm uma estrutura que precisa suportar toda a carga de materiais e de pessoas que desfilarão. Os mesmos são iluminados e feitos a partir de materiais reciclados. Por isso, o trabalho envolve conhecimento nas áreas de mecânica, metalurgia e elétrica, profissões dentro do campo de atuação do CREA. Segundo o conselho, são os profissionais que supervisionam as obras que respondem junto ao CREA caso algo dê errado.

“Nós estamos dando prosseguimento a uma ação realizada nos últimos anos com a intenção de verificar se as agremiações possuem profissional habilitado pelo CREA para acompanhar a execução dos trabalhos desenvolvidos nos barracões .A meta não é impedir o desfile, mas garantir que os carros alegóricos sejam confeccionados obedecendo as normas de segurança”, explicou o Presidente do Crea-AM Telamon Firmino.

Multa

As 8 agremiações têm prazo de 10 dias corridos para apresentarem responsável técnico. Após o prazo de dez dias, caso não haja regularização, é gerado o auto de infração que resulta em uma multa de R$ 4.756,25. Além disso, é aberto um processo interno administrativo. Esta ação não impede o desfile, tem caráter preventivo e faz parte do calendário de fiscalização do Crea-AM.

*Com informações da assessoria de comunicação do CREA-AM. 

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.