Festival Amazonas de Ópera faz homenagem a Verdi

Manaus – O compositor Giuseppe Verdi está para a ópera italiana como o Pelé para o futebol. E no 17º Festival Amazonas de Ópera (FAO), a plateia poderá conferir as homenagens ao bicentenário do autor, que elevou o nível das peças líricas e clássicas ao patamar de arte de hoje, de verdadeiros mitos.

As homenagens acontecem com a ópera em concerto “Um Baile de Máscara”, que teve sua estreia no palco do Teatro Amazonas na noite de terça-feira, 16 de abril, e terá mais três récitas – dias 21 e 29 de abril, e 1 de maio –, com a Vesperal Lírica “La Traviata”, que será encenada nos bairros (Cidade Nova e Aparecida) e com o Recital Bradesco II, reunindo canções de Verdi. O festival tem realização do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, com patrocínio máster do Bradesco.

Na primeira noite dedicada ao italiano no FAO, com regência do maestro Luiz Fernando Malheiro, Orquestra Experimental Amazonas Filarmônica (OEAF) e Coral do Amazonas, os destaques ficaram para os solistas que executam os papeis mais marcantes da trama, o rei Riccardo, interpretado por Paulo Mandarino; Renato, secretário do rei e esposo de Amelia, na voz de Leonardo Páscoa; Amelia, lindamente vivida pela soprano Daniella Carvalho, que fez sua estreia em Manaus; e Ulrica, de Andreia Souza.

“É uma felicidade está no festival, na minha primeira vez”, disse Daniella, minutos antes de entrar no palco para fazer a Amelia, no meio de um triângulo verdiniano. Aclamada por seu timbre expressivo e presença de palco, foi justamente isso o que a soprano deixou claro para a plateia na primeira noite de “Um Baile de Máscara”.

E justamente no público, foi a qualidade dos artistas que marcou o aposentado Cleiton Fernandes Silva, 48: “Fiquei maravilhado, mesmo sendo a primeira ópera da minha vida. Agora posso dizer que é um espetáculo fantástico”. A professora Odete Lima Silva já assistiu montagens operísticas em outras capitais, mas disse que o FAO não deixa nada a desejar a nenhum outro centro cultural lírico mundial. “É maravilhoso”. Já o estudante Bernardo Nunes, 23, que está no segundo ano acompanhando o FAO, se disse impressionado com o que viu no palco e que com certeza voltará em outras apresentações em 2013 e nos próximos anos, no melhor estilo vida longa ao festival.

Resumo da ópera – “Um Baile de Máscara” teve sua estreia mundial em 1859, tratando da história de um rei sueco, que tem um caso amoroso com a mulher de seu melhor amigo. Como o lado político da obra foi censurado, à época, no século 19, porque se tratava de uma conspiração de assassinato bem sucedido contra um príncipe europeu, Verdi foi convidado a fazer mudanças e “Um Baile” virou uma combinação de melodrama, farsa e fantasia, com conclusão dramática. Mas além do drama, brilhantemente Verdi mistura ironia e comédia, o que levou críticos a rotulá-la “shakesperiana”.

Fonte – Agecom

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.